Superman # 9 – Novos 52

Por Marcus Vinicius de Medeiros
Data: 3 maio, 2013

Superman # 9 - Novos 52Editora: Panini Comics – Revista mensal

Autores: Segredos e mentiras (Superman # 9) – Keith Giffen (roteiro e coargumento), Dan Jurgens (desenhos e coargumento), Jesús Merino (arte-final) e Tanya e Richard Horie (cores);

Uma garota no mundo (Supergirl # 8) – Michael Green e Mike Johnson (roteiro), George Pérez (desenhos), Bob Wiacek (arte-final) e Paul Mounts (cores);

A maldição do Superman (Action Comics # 9 ) – Grant Morrison (roteiro), Gene Ha (arte) e Art Lyon (cores);

Poder executivo (Action Comics # 9) – Sholly Fisch (roteiro), Cully Hammer (arte) e Dave McCaig (cores).

Preço: R$ 7,20

Número de páginas: 72

Data de lançamento: Fevereiro de 2012

Sinopse

Superman – Enquanto o defensor do planeta prossegue em suas ações heroicas, um blogueiro ameaça revelar a identidade secreta do herói ao público e surge uma perigosa nova vilã em Metrópolis.

Supergirl – Após derrotar as Arrasa-Mundos, a Garota de Aço encontra sua primeira amiga verdadeira na Terra, tendo uma amostra da vida no planeta adotivo. Mas as ameaças à paz não tardarão a surgir.

Action Comics – Numa história que atravessa realidades alternativas, o leitor é apresentado a Calvin Ellis, o presidente dos Estados Unidos com uma identidade secreta de super-herói.

Action Comics II – O presidente superpoderoso dos Estados Unidos empreende uma ação direta contra o terrorismo internacional.

Positivo/Negativo

Nada como um dia depois do outro. Após a decepcionante oitava edição do título, o Superman volta a brilhar em sua revista mensal a partir de quatro histórias excepcionais.

O time de roteiristas e ilustradores acerta a mão, e presenteia o público com algumas boas surpresas, provando novamente o potencial infinito do kryptoniano em tramas que arrebatam.

Quem surpreende mais é a loira Kara Zor-El, numa aventura desenhada pelo talentoso George Pérez que pode ser considerada a mais acertada de sua nova existência pós-reboot e uma das investidas mais significativas de toda a trajetória editorial da heroína.

Curioso que Pérez se destacou tempos atrás ao ilustrar a morte da Supergirl original na inigualável Crise nas Infinitas Terras, e agora convence ao mostrar a vida renovada da kryptoniana.

Os escritores Michael Green e Mike Johnson finalmente se redimem pelos momentos pouco inspirados das edições anteriores, posicionando a Supergirl como uma adolescente perdida no mundo e cheia de personalidade. O traço de Pérez chega rico em detalhes, bonito e dinâmico, como nos melhores momentos de sua carreira. Nunca um desenhista convidado fez tanta diferença nas aventuras da heroína.

E claro que a revista não mereceria tantos elogios se o astro principal não reluzisse. O Superman de Keith Giffen e Dan Jurgens sobreviveu ao confronto infeliz com o Helspont, nas edições anteriores, e encontra uma ameaça diferente nas mãos da dupla de artistas. Agora, o problema do herói é um blogueiro que ameaça divulgar sua identidade secreta para o mundo, mas nada sai como ele espera.

O Homem do Amanhã enfrenta também uma vilã inesperada, com visual provocativo de couro preto e problemas com autoridades, mas o mérito da trama é mesmo a direção segura para o ícone. É mais uma história convencional no gênero super-heróis, mas que funciona por sua mistura de ação e desenvolvimento de personagens, com muito drama humano no meio.

Lois Lane e Jimmy Olsen voltam a ganhar espaço em seus diálogos com Clark Kent na redação do Planeta Diário, e os fãs de longa data percebem que os Novos 52 mantêm em evidência todos os elementos que fizeram esses personagens tão queridos ao longo das eras.

Já nas páginas de Action Comics, Grant Morrison apresenta mais uma guinada criativa com a introdução de Calvin Ellis, o presidente Superman de uma realidade alternativa que dará muito que falar. Este Obama que realmente veio de Krypton é uma das maiores sacadas do escocês desde que reformulou o Homem de Aço para a nova fase dos quadrinhos da DC Comics, ainda mais valorizado pela arte de Gene Ha.

Trata-se de uma interessante mudança de ares para suas aventuras com o personagem, explorando facetas inéditas do Superman no mundo moderno. Uma verdadeira pérola em meio às desventuras do jovem Clark Kent, que mostra também visões únicas sobre sua amada Lois Lane e eterno inimigo Lex Luthor.

Histórias imaginárias com o Homem de Aço têm uma longa tradição desde a chamada Era de Prata, e A maldição do Superman é um valoroso acréscimo à linhagem de narrativas especiais.

Sholly Fisch e Cully Hammer completam a edição com uma história curta também centrada no presidente superpoderoso, que lida com delicadas questões políticas sem perder o foco.

A atual fase do Último Filho de Krypton acerta ao surpreender o público com uma abordagem ousada e ideias contundentes, que não deixam prever o que virá a seguir. Quando o leitor já estava se acostumando com a nova realidade dos heróis, o time de autores vira tudo de pernas pro ar. Que a sensação de imprevisibilidade continue!

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.