Terra X # 2

Por Sidney Gusman
Data: 22 dezembro, 2001

Terra X # 2Editora: Mythos – Minissérie em 4 edições

Autores: Jim Krueger e Alex Ross (argumentos), Jim Krueger (roteiro), Alex Ross (capas), John Paul Leon (desenhos), Bill Reinhold (arte-final) e Matt Hollingsworth (cores).

Preço: R$ 7,50

Data de lançamento: Novembro de 2001

Sinopse

Os Inumanos visitam Reed Richards, na Latvéria, e revelam que a Terra está prestes a ser extinta. Assim, o antigo Sr. Fantástico pede ao Pantera Negra (que está casado com Tempestade, dos X-Men) para que ele desacelere a produção do vibranium em Wakanda, pois o metal pode ser a razão do processo de destruição do planeta.

Enquanto isso, o Caveira Vermelha continua sua caminhada rumo ao poder. Mas o Capitão América não desistiu de detê-lo e, após algumas derrotas, decide organizar uma milícia de antigos super-heróis para combater este mal.

Paralelamente a esses eventos, novas versões do Hulk (agora uma dupla formada por um menino e um monstro irracional que se assemelha a um imenso gorila) e de Thor (na pele de uma mulher) procuram Cléa, a maga suprema da Terra (ela substitui seu ex-mestre e amado, o Dr. Estranho), para penetrar no reino dos mortos e levar uma mensagem para o Capitão Marvel. O garoto que comanda o Hulk acha que o herói kree pode ser a chave para a salvação do mundo.

Também entram na briga para impedir a destruição da Terra, um desgostoso Ciclope com seus novos X-Men (artista de circo), uma versão amalucada do Demolidor (cujo grande desafio é escapar constantemente da morte em seus espetáculos), Venom (a filha da Peter Parker, o Homem-Aranha) e os Vingadores de Ferro, máquinas de combate lideradas pelo Visão e por um senil Tony Stark, que vive enclausurado, com medo de ser contaminado pelo “vírus” que transformou toda a população em seres superpoderosos.

Reed Richards continua buscando uma solução para o problema e a relação de X-51 e do Vigia começa a se desgastar. O antigo Homem-Máquina desconfia das motivações de Uatu, quando este determina que ele apague suas emoções dos bancos de memórias…

Positivo/Negativo

Como foi mencionado no review anterior, esta minissérie foi construída a partir de um conceito muito interessante. Bem escrita e desenhada e com capas estupendas, a obra, no Brasil, sofreu com inúmeras mutilações.

Como já foi explicado, cada vez que um novo personagem ou cidade era introduzida na trama original, uma página dupla contava sua origem e suas grandes passagens. Nesta edição, os “premiados”, que tiveram suas cenas cortadas, foram Wakanda, o Pantera Negra, Asgard, Thor, Ciclope, os X-Men (em suas várias formações) e o Hulk.

Tem mais! Uma dupla que foi ignorada mostrava a razão da amargura demonstrada por Ciclope na história (e que, evidentemente, o leitor jamais saberá): Wolverine e Jean Grey aparecem casados, imensamente gordos e se destratando de maneira pouquíssimo educada. Mas isso não tinha importância para a fluência da história, na opinião dos “adaptadores” da versão nacional…

Esta segunda edição de Terra X (Terra Y, Terra X Diet, Terra X, o Resumo, como poderia ser chamada) é um festival de atrocidades, que podem ser enumeradas.

1) As nove primeiras páginas da revista, originalmente, eram antes do momento em que Namor é dominado pelo Caveira Vermelha (a última cena do número 1). Por que a inversão? Pelo fato de não que haveria uma “quebra” suficientemente emocionante, caso se seguisse a ordem correta. Aí, a solução foi “atrasar um pouco” a seqüência.

2) No primeiro texto de apêndice (pág. 24), outra mancada. X-51 fala ao Vigia sobre uma mulher salva pelo Hulk, que só vai aparecer na página seguinte. E a narração não é retroativa.

3) Na página 29 (contando as mídias), a cena em que Medusa e Luna entram no depósito de Reed Richards foi adiantada em 16 páginas! Para isso, a última fala de sua sobrinha foi adulterado de“Did you hear something?” (Você ouviu algo?) para “Tia, que sala é essa?”. Assim, os “adaptadores” (ou seriam dublês de roteiristas?) omitiram toda a batalha dos Inumanos contra andróides, que, claro, o leitor brasileiro não precisava ver.

4) Na cena em que Ciclope é atacado pelos X-Men (páginas 47 e 48, contando as publicidades) há um erro grotesco de edição. Uma página dupla foi publicada separadamente! Repare que as páginas são continuação uma da outra. Assim, a seqüência de leitura foi modificada! Ou seja, para ler como “se deve”, você precisa ficar virando a página e voltando!

Pra piorar, os erros não se restringiram à parte editorial. Há várias páginas em que a impressão ficou horrível (parece ter faltado a aplicação de alguma cor), deixando os personagens esverdeados, como na dupla do Caveira Vermelha, na ida de John Jameson para a morada do Vigia, no começo do treino dos X-Men e no encontro de Peter com sua filha, cuja roupa é cheia de tons vermelhos, que saíram verdes como esmeraldas.

Ainda há alguns erros de português e de letreiramento. Confira: “sua existências” (pág. 17); “as pessoas têm direito à libertade” (19); “multíplas personalidades” (39 – o correto é múltiplas); “nada saí daquela dimensão” (50 – não leva o acento); e “não resta um único telepata na terra” (62 – Terra, por se tratar do planeta).

Nesta edição, que engloba os números 4 a 7 do original, foram cortadas 33 páginas de quadrinhos e 21 de textos (os apêndices, que traziam explicações sobre o que teria ocorrido com vários personagens da Marvel, e que os leitores brasileiros, claro, ficaram sem saber), totalizando 54! A “compensação” (se é que ela existe) fica por conta de duas capas de Alex Ross utilizadas no miolo.

Assim, o “placar” das páginas cortadas subiu para 100, em apenas dois números! Leia os reviews das próximas edições e veja, no final, quantas foram as páginas extirpadas da versão nacional.

Se houvesse nota menor, com certeza, esta edição a ganharia.

Classificação:

Zero

• Outros artigos escritos por

.

.

.