Vertigo # 43

Por Tiago Pavinato Klein
Data: 19 julho, 2013

Vertigo # 43Editora: Panini Comics – Revista mensal

AutoresHellblazer – Especial de Natal – Deu bode no Natal – Brian Azzarello (roteiro), Rafael Grampá (arte) e Marcus Penna (cores) – Originalmente em Hellblazer # 250;

O cair da neve - China Miéville (roteiro), Giuseppe Camuncoli (esboços), Stefano Landini (arte-final) e Jamie Grant (cores) – Originalmente em Hellblazer # 250;

Escalpo – The night they drove old Dixie down – Jason Aaron (roteiro), Davide Furnó (arte) e Giulia Brusco (cores) – Originalmente em Scalped # 44;

Casa dos Mistérios – Problemas excepcionais – A concepção – Parte 3 de 5 - Matthew Sturges (roteiro), Luca Rossi e David Lloyd (arte), José Marzan Jr. (arte-final) e Lee Loughridge (cores) – Originalmente em House of Mystery # 33;

Vampiro Americano – A lista negra – Scott Snyder (roteiro), Rafael Albuquerque (arte) e Dave McCaig (cores) – Originalmente em American Vampire # 33.

Punk Rock Jesus – Sacrifício – Sean Murphy (roteiro e arte) – Originalmente em Punk Rock Jesus # 4.

Preço: R$ 10,90

Número de páginas: 128

Data de lançamento: Junho de 2013

Sinopse

Escalpo - Desesperado, Nitz parte para uma última e suicida ação. Porém, o inesperado acontece!

Hellblazer - Duas histórias curtas completando a edição # 250.

Punk Rock Jesus - Uma grande virada na vida de Chris! Após uma tragédia familiar, ele parte rumo a descobertas e começa a mudar radicalmente sua trajetória.

Casa dos Mistérios – Caim tenta colocar um pouco de perspectiva na vida de Fig. Será que ela vai escutar?

Vampiro Americano - A vida de Henry está em perigo, e Pearl corre contra o tempo para salvá-lo. A conclusão do arco A lista negra.

Positivo/Negativo

Este número chegou às bancas envolto pela notícia de que a revista Vertigo não terá mais serviço de assinaturas. Isso, somado principalmente ao retorno de John Constantine ao selo principal da DC Comics, criou aquela tensão entre os fãs: será que o título seria cancelado? Felizmente, a Panini negou essa possibilidade. E a edição # 43 saiu com alguns destaques.

O principal, sem dúvida, é em Punk Rock Jesus, com a reviravolta na vida de Chris, que começou a se delinear no número anterior. Se até o capítulo 3 a questão religiosa ia aparecendo de “fundo” nas relações entre os personagens, mantendo uma sobriedade, aqui ela explode junto com a nova personalidade punk de Chris.

O drama pessoal do protagonista chega ao extremo com uma tragédia familiar, e ele passa a descobrir o universo punk, ao mesmo tempo em que mergulha em fatos controversos da história da Igreja. Do menino introvertido, suposto clone de Jesus, nasce a versão que dá nome à série, o Jesus “Punk Rock”.

E essa versão aparece extremamente crítica ao mundo e à Igreja – aqui também há uma reviravolta na série, colocando o clero em um papel de “vilão” no decorrer da história da humanidade, e começando a marcar um posicionamento em relação à religião.

Esta edição centra-se em narrar este novo Chris (além de trazer o passado de Thomas). Assim, fica para o próximo episódio perceber como suas críticas vão ser sentidas nos grupos religiosos e nos demais personagens que permeiam a trama, além de poder ver para qual rumo a questão religiosa vai tomar na sequência da série.

O outro destaque da revista é Escalpo. Raramente a série não tem uma edição elogiada, e esta não é diferente. O acaso muda novamente a vida de Nitz, o agente sempre no encalço de Corvo Vermelho. Em uma história fechada, Jason Aaron mostra toda a sua competência. A capa, inclusive, com o personagem apontando uma arma para a própria cabeça, também chama a atenção! Jogando apenas com o preto e o vermelho, ela permite vislumbrar todo o caráter suicida da trama, e mostra coragem da editora ao apostar num tema desses para a capa.

As outras séries seguem seus ritmos habituais. Hellblazer traz mais duas histórias curtas da edição # 250, com destaque para a arte de Rafael Grampá em uma delas, um poema com o personagem, com texto de Azzarello.

Casa dos Mistérios continua morna, porém a história dentro da história desta edição é muito interessante, ao propor uma trama circular, que termina no seu ponto de partida. Como nasce uma ideia, afinal? E a arte é de David Lloyd.

Vampiro Americano encerra um arco eletrizante. A vida de Pearl muda após os incidentes desta edição. Aproveitando o espaço deixado pela edição mais curta de Hellblazer, há uma galeria com cinco capas alternativas da série, com artistas como Dave Johnson e Jock.

A torcida é para que a revista Vertigo siga apresentando novas (e boas) séries sempre, mesmo com os rumores sobre seu possível fim.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.