Resenha: Guerra Civil é o ápice dos filmes da Marvel

Por Samir Naliato
Data: 29 abril, 2016

Há oito anos, a Marvel Studios lançou o filme Homem de Ferro (2008) e deu início a um ambicioso projeto de criar um universo cinematográfico compartilhado com seus super-heróis, que culminaria com o encontro de todos eles em um longa-metragem.

Apesar de não contar com algumas franquias famosas, como X-Men, Quarteto Fantástico, Demolidor e Homem-Aranha – cujos direitos foram cedidos para outros estúdios durante uma grave crise financeira na década de 1990, levando a editora a pedir concordata –, alguns dos mais tradicionais heróis ainda estavam disponíveis, especialmente os do núcleo que formava os Vingadores.

E assim foi feito.

Um a um, os projetos foram sucessos em maior ou menor grau, ganhando a confiança do público, estabelecendo o estúdio numa posição respeitável dentro de Hollywood e culminando com sua aquisição pela The Walt Disney Company. Recordes de bilheterias e euforia dos fãs eram justificáveis, ainda que por vezes mascarassem filmes medianos.

Capitão América - Guerra CivilCapitão América - Guerra Civil

Durante esse tempo, o estúdio seguiu uma fórmula que estava dando certo: histórias voltadas para toda a família, boas doses de humor e muita aventura. Mas até quando produções similares continuariam a ser relevantes antes de sofrer um desgaste natural?

Poucas eram as tentativas de se diferenciar, mesmo com personagens por vezes inusitados, sendo uma das mais notáveis ocorridas em Capitão América – Soldado Invernal (2014). E quem diria que seria justamente a série do Sentinela da Liberdade a mais sólida e interessante da Marvel?

Em Capitão América – Guerra Civil, uma espécie de continuação da franquia dos Vingadores, os integrantes do grupo estão pressionados por causa dos efeitos colaterais causados em suas ações e se veem numa encruzilhada: ou passam a ser supervisionados pela ONU, numa ação conjunta de diversos países, ou encerram suas atividades heroicas. Opiniões diferentes causam uma divisão na equipe e, para piorar, o Soldado Invernal é envolvido em um atentado terrorista, o que os coloca em rota de colisão uns contra os outros.

E é aí que que o Universo Marvel Cinematográfico dá um salto importante e necessário não só tematicamente, mas também para se revigorar e se fortalecer.

Pela primeira vez, 12 filmes após o início desta jornada, os realizadores se propõem a analisar a existência de super-humanos e as consequências de suas ações.

Capitão América - Guerra CivilCapitão América - Guerra Civil

Nada de lutar contra uma invasão alienígena, ter a cidade destruída e sair para comer sanduíches. Não, a trama aborda a percepção de civis, líderes mundiais e dos próprios heróis sobre suas atividades, responsabilidades e ideais defendidos.

Capitão América (Chris Evans) e Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) são os expoentes de duas opiniões divergentes e polarizam a discussão. Mais do que mostrar um lado como o certo e o outro errado, questões interessantes são levantadas e tornam ambas as argumentações válidas, reforçando a discussão do tema.

Retornam Falcão, Feiticeira Escarlate, Soldado Invernal, Homem-Formiga e Gavião Arqueiro para apoiar Steve Rogers. Contra eles estão Viúva Negra, Máquina de Combate e Visão para ajudar Tony Stark, além dos estreantes Pantera Negra e Homem-Aranha.

Pantera Negra desempenha papel mais ativo na trama, enquanto o Homem-Aranha é introduzido tempo o suficiente para não inchar e atrapalhar a narrativa, mas ainda ser um dos destaques na principal cena de ação do longa e mostrar potencial para o terceiro (!) reboot dos filmes solos.

Ele é um dos alívios cômicos, junto com o Homem-Formiga. A diversão fica a cargo desses dois, como deveria ser, enquanto temos um Tony Stark envolvido em situações mais sérias para não desvirtuar a gravidade das discussões propostas.

Tudo isso mesclado com muita ação, reviravoltas e efeitos especiais que dão vida aos personagens.

Homem-Aranha em Capitão América - Guerra Civil

Após tantos filmes juntos, o elenco principal está afinado e as atuações se sobressaem com o roteiro bem trabalhado de Christopher Markus e Stephen McFeely, além do comando competente dos diretores Anthony e Joe Russo.

Os dois irmãos, anteriormente conhecidos por filmes e séries de televisão de comédia, como Arrested Development (2003-2005), Dois é Bom, Três é Demais (2006) e Community (2009-2011), provam que nem sempre a primeira impressão é a verdadeira e é justamente em suas mãos que o UMC amadurece.

Após Soldado Invernal e Guerra Civil, eles comandarão também Vingadores – Guerra Infinita Parte 1 (2018) e Parte 2 (2019), nos quais os heróis finalmente enfrentarão Thanos. A esta altura, já provaram estar mais do que gabaritados para a tarefa.

O longa-metragem atualmente nos cinemas é obviamente inspirado em grande parte na saga de quadrinhos de mesmo nome, lançada em 2006 pelo escritor Mark Millar e o desenhista Steve McNiven (leia um review da graphic novel aqui). Mas trata-se mais de uma inspiração temática do que narrativa e inclui na mistura outras fases, como a do roteirista Ed Brubaker nas revistas do Capitão.

Capitão América – Guerra Civil culmina na mais sólida empreitada da Marvel nos cinemas, novamente aumentando o nível dos filmes de super-heróis e trazendo mais desafios e responsabilidades não só para os concorrentes, mas para si mesma.

E, afinal, não é isso que todos os fãs querem?

Capitão América – Guerra Civil
Duração: 147 minutos
Estúdios: Marvel Studios
Direção: Anthony Russo e Joe Russo
Roteiro: Christopher Markus e Stephen McFeely
Elenco: Chris Evans, Robert Downey Jr., Scarlett Johansson, Sebastian Stan, Anthony Mackie, Don Cheadle, Jeremy Renner, Chadwick Boseman, Paul Bettany, Elizabeth Olsen, Paul Rudd, Emily VanCamp, Tom Holland, Daniel Brühl, Marisa Tomei, John Kani, John Slattery, Martin Freeman, William Hurt, Alfre Woodard e Frank Grillo.

• Outros artigos escritos por

.

  • Silvestre Peba

    Vei o cara acha o homem aranha pelo youtube, E um bom filme, mas não devia se chamar guerra civil, e sim treta civil, isso num chega nem perto de uma guerra. Muito ruim como adaptação.

    • Homem Simpson

      Tá. Seguindo seu raciocínio, a trilogia “De volta para o futuro” tinha de se chamar “De volta para o presente” (1985); o filme “Os Caçadores da Arca perdida” deveria ser “Os escondedores da Arca encontrada” e a saga “O Senhor dos Anéis” poderia mudar seu nome para “O Senhor sem anel nenhum”! 😃

      • O Primeiro e o Maior

        nada a ver.
        o que ele fala tem todo o sentido.
        este filme está longe de ser uma guerra civil.

        • Homem Simpson

          Lamento, amigo, mas, mesmo que este assunto seja expresso de modo individual, já que cada um tem seu gosto, o recalque decenete está sendo geral (por que será, hein?). Não há mais nada a discutir a não ser: #CHUPADC!!! 💋

        • Z é

          Sim, mas se você comparar seus comentários ao do dele, o mesmo não demonstrou achar o filme ruim, e sim uma adaptação ruim.

  • W.Santos

    O melhor filme da Marvel (e até mesmo do tema de super-heróis) especialmente por saber condensar, em uma trama fechada, tantos personagens e suas idiossincrasias. O Homem-Aranha como nunca visto antes. A apresentação do Pantera Negra totalmente verossímil. Visão e Feiticeira Escarlate lembrando as HQs… enfim, a Marvel conseguiu fazer um baita blockbuster e ainda se deu ao luxo de nem utilizar Thor, Hulk e Fury.

  • Valdir

    Aposto minha coleção que a turma do Universo HQ já está planejando um podcast sobre este filme… Aguardamos ansiosamente.

  • Damião Ferreira da Cruz

    Mandou bem Samir, o filme é muito legal mesmo!

  • Thiago A.

    Daqui a alguns dias conferirei nas telonas.

  • Washington Luiz Dos Santos

    Não sei se é o melhor, pois ainda tenho em conta a trinca de personagens marvel com xmen2, aranha2 e capitão 2, além do Batman do Nolan. Mas fora esses está um nível acima em relação a tudo (ação, roteiro e personagens) de qq outro. Rio muito até agora com cenas antológicas de humor.

    • O Primeiro e o Maior

      se vc rir muito com as cenas antológicas de humor então:
      1) isso está em todos os filmes do UCM;
      2) um filme que se pretende de super-herói e carrega o título de umas das mais sombrias hqs da marvel, ser lembrado exatamente pelas gargalhadas que provoca, é no mínimo nosense;
      3) não há guerra civil de fato, apenas no título!

      • Emissario Zen-Hai

        Não é porque tem Humor que o Filme deixe de ser sério ou Denso.
        E mesmo nas Hqs o Humor também estava presente.
        E se ele deu risada é porque o humor foi bem feito e não porque seja a única coisa a ser lembrada.

      • Z é

        A hq é bem pautada, mas não é nem de longe a mais sombria ou séria. O tema é sério, mas tem muito da levada de “regra nº 178 da Marvel”. Os embates ideológicos estão lá no filme, em abordagens que mudam quando comparadas com as da hq. Ter piadas ou não não desqualifica o tom de um filme automaticamente, independente de qual seja.

        Sua birra com o filme se mostra muito mais uma questão desse embate cego Marvel x DC do que realmente uma análise da película. Apesar de tudo, gosto é gosto, e há aqueles que gostaram e aqueles que não gostaram do filme. Mas quando a questão é análise, deve-se ter um pouco mais de bom senso e pontos realmente pertinentes para se levantar, e não algo falacioso ou vago.

  • O Primeiro e o Maior

    falar em alívio cômico nos filmes do UCM é brincadeira.
    em guerra civil apenas t’challa não faz piada alguma.
    todos os outros são piadista.
    e ocorre o mesmo erro de ultron: piadas até nas horas de luta;
    por favor, me digam qual é a novidade desse filme.
    até a ausência de vilão está presente.
    assim é demais, pois em todo o lançamento de filme UCM
    é essa mesma conversa de “o melhor filme até aqui” e as coisas são repetidas
    na tela do mesmo modo que no filme anterior.

    • Ale

      Ora, o alívio cômico faz parte da essência da Marvel, não só no UCM como desde seu início nos quadrinhos, vide Tocha e Coisa no Quarteto Fantástico.

      O vilão está bem ali, embora não seja o estereótipo maniqueísta clichê que você aparentemente esperava. Sua influência é sutil, mesmo porque o foco do filme é o conflito entre os heróis.

      Os filmes evitam ambientações predominantemente noturnas e chuvosas que são exageradamente sombrias, tristes e descoloridas. Os filmes do UCM são visualmente agradáveis e têm ambientações vibrantes.

      Cada um tem um bom equilíbrio entre drama, aventura e, claro, humor e traz novidades para o UCM como um todo, com novos personagens e novos enredos, para um público que abrange desde fãs de longa data até leigos atraídos pela curiosidade. Quem sabe alguns destes tornem-se fãs também, o que é o objetivo da Marvel.

  • Marcelo Naranjo

    Um perfil com a foto do CLARK KENT falando mal do filme da Marvel.
    Muito doido isso.
    :-)))

    • Emissario Zen-Hai

      Pois é.

    • O Primeiro e o Maior

      rsrsrsrs.
      calma amigo, é questão de opinião e de não aceitar certas características do UCM. é ótimo que o UCM tenha conseguido seu público cativo, isso é um grande feito, é o que todo artista ou empresa busca e o marvel studios conseguiu.

      mas não é por isso que todos gostem.
      eu não gosto.
      eu gosto dos quadrinhos marvel.
      tenho quase quatro mil hqs, a maioria com certeza é da DC, que coleciono desde os 12 anos. mas há algumas da marvel.
      e entre elas, guerra civil.

      e a guerra civil que está nos cinemas em pouco se parece com a que tenho na minha coleção.

      e eu espero que a warner/dc consiga um público para si também.
      um estilo diferente.
      um público diferente.
      é só continuar que esse público chegará.

      • Z é

        “e eu espero que a warner/dc consiga um público para si também”

        Também espero isso. O ruim é que o Zack Snyder aparenta não querer fazer isso, como ele bem mostrou no BvS.

      • Maxoel Costa

        “E a guerra civil que está nos cinemas em pouco se parece com a que tenho na minha coleção”.

        Honestamente, que ótimo que não se pareça. É uma adaptação cinematográfica, retratando um universo alternativo que tomou rumos diferentes do Universo Marvel 616 (do mesmo modo que é ótimo que exista um universo paralelo onde o Superman tenha entrado na ativa aos 33 anos, enquanto o Batman trava sua batalha há mais de 20 anos). Não tem nem como ser igual. Porém, a questão ideológica continua lá.

    • Henrique Valle

      Ué, e daí? Ele tem que trocar de avatar para dizer a opinião dele?

  • Hermes Luiz

    Guerra Civil? Meia duzia de gato pingado brigando numa rua esta mais para briga de hooligans.

  • Daniel Rand

    Ao sair do cinema, analisei sistematicamente o filme sem deixar a empolgação falar mais alto. Não foi difícil, sempre mantive uma lista dos meus preferidos que era constantemente reavaliada a cada novo lançamento, isso não quer dizer que a lista fosse alterada constantemente. Para se ter uma ideia, o melhor, até então, era Vingadores, que resistiu bravamente a filmaços como Capitão 2 e Guardiões. Então, foi só compará-los. Guerra Civil é o melhor filme de super-heróis de todos os tempos.

  • Daniel Machado

    Admito ter ficado um pouco decepcionado por terem diminuído a importância da saga, a princípio. Claro q houve uma adaptação contextualizada e referências claras, mas o longa é na verdade uma continuação de “Soldado Invernal”, q pra mim ainda é o melhor da Marvel. E o q fizeram com Zemo? Eu gostei do personagem no filme, mas o vilão das HQ’s merecia muito mais q aquilo. Achei a entrada do Aranha forçada e Pantera Negra uma excelente surpresa, fiquei inclusive mais ansioso pelo filme dele q do Teioso.

  • Fabricio Ramos

    Filme ruim… Guerra civil ou piada civil? Putz um post falando que a Marvel resolveu colocar um tema serio em discussão. .. E a gente ve 200 piadas pastelão

    • Samir Naliato

      Sua observação é extremamente exagerada. É colocado um tema sério sim em discussão, e o humor está bem mais direcionado e contido neste filme (apesar de algumas bobagens, como na luta da Viúva Negra com o Gavião).

      Eu, como alguém bastante crítico do excesso de piadas de filmes anteriores, muitas delas fora de hora, estou bastante a vontade para escrever isso.

      Aliás, vendo seus comentários anteriores, é possível observar como vc defende tudo da DC e critica tudo da Marvel. E antes que você venha falar algo, eu posso ser considerado um DCnauta.

      Até quando essas picuinhas infantis dos dois lados continuarão a ponto de cegar e impedir as pessoas de desfrutaram bons filmes e HQs? “Chupa Marvel” e “Chupa DC” são duas das coisas mais debiloides atualmente na internet.

      • Fabricio Ramos

        Agora pronto… Eu não posso mais achar o filme ruim… Eu achei pessimo… Não sou fã de filmes de herois com piada… Nem de quadrinhos. .. Eu por exemplo odiei a faze da liga da justiça que so era piada com Guy Gardner e companhia. ..
        Segundo aspecto… Eu realmente gosto muito da DC… Pois tenho O Batman como personagem predileto porem, contudo, todavia e entretanto não posso ser considerado um DCnauta… Pois meu segundo personsgem predileto é o Demolidor por sinal desde que Frank Miller escreveu suas revistas .. A serie do Demolidor é tudo que eu queria ver em estilo semelhante em um filme chamado Guerra civil… Mas infelizmente repito… Podiam mudar o nome para piada civil ou Briguinha de gangue de heróis. .. Se enquadrava bem mais…
        E afirmo novamente tenho direito de ter achado o filme ruim… Não é um lixo como Lanterna verde, ou quarteto fantástico ou ultimo Conan… Mas é bem abaixo do que eu esperava.

        • Samir Naliato

          Você tem todo o direito de achar esse ou qualquer outro filme ruim, e acho ótimo que expresse a sua opinião. Assim como eu ao você ter feito uma citação direta ao post.

          PS: eu também adoro a série do Demolidor.

  • Henrique Brum Carvalho

    Como ja comentaram aqui…também acho que teve os mesmos erros do Era de Ultron….exageram um pouco no humor msm nas cenas de luta aí não cria muita tensão, não da a sensação de ameaça …a luta ficou msm ‘de cumadres’ ..um jogo amistoso…aí o titulo guerra civil decepciona msm. Agora comentando com mais SPOILER —- achei que faltou um final, o esperado desse tipo de ‘team-up’ é aquela velha de herois brigam e depois se unem para enfrentar uma ameaça…sei que a ideia deve ter sido msm evitar o cliche – mas terminou de forma abrupta com eles brigados ainda, a luta prometida durante o filme todo dos 4 soldados invernais não aconteceu e ficou uma sensação do filme parar no meio, o que não é legal pra fim de trilogia…E deu um mal estar a cena que o homem de ferro ve os pais sendo espancados até a morte e os 2 nem baixam a guarda só batem mais nele e vão embora…preferia o invernal pedindo perdão e se dando um tiro na cabeça do que indo pra geladeira…bom filme..mas não acho que é o melhor de todos como estão dizendo por aí…

  • Samir Naliato

    Um adendo à crítica acima, já que parece que algumas pessoas estão incomodadas (a meu ver desnecessariamente) com o fato de um filme chamado “Guerra Civil” ter poucos personagens envolvidos comparado com as HQs.

    O título, nem mesmo nos quadrinhos, tem relação com o número de super-heróis participantes. Trata-se de uma referência à Guerra Civil (ou Guerra da Secessão) dos Estados Unidos, na qual colocou o norte contra o sul e quase dividiu o país em dois, sendo o fim da escravidão um dos principais temas.

    O Sul era contra, e tentavam formar o Estados Confederados da América. O norte, a favor, era a União, e venceria a guerra, permanecendo assim Estados Unidos da América. Foi uma guerra entre irmãos, que dividiu um mesmo povo.

    É nesse sentido que a saga da Marvel se inspirou: colocou até então amigos que lutavam do mesmo lado uns contra os outros, num confronto que teve origem ideológica.

    CLARO que nos quadrinhos havia mais personagens porque lá há centenas de heróis criados durante mais de 40 anos de cronologia. No filme há menos, pois existem menos heróis nos cinemas. Mas a essência é a mesma.

    • E fora que a HQ do Millar não esse primor todo. Achei o filme bem mais consistente do que o que foi feito nos quadrinhos.

      • Z é

        Concordo. A hq é boa, mas isso é mais no intuito do que na execução das ideias. O Millar fez um monte de porrada(boa) com diversos personagens aparecendo, o que não é ruim. No filme também a porradarias, mas a questão de relevância dos personagens é bem maior, sem contar que descaracteriza bem menos o Capitão e o Ferroso.

  • O Primeiro e o Maior

    eu acho que o Marvel Studios perdeu uma chance de fazer realmente a diferença esse ano. esse capitão américa 3 deveria focar exclusivamente no relacionamento afetivo entre steve e bucky. esse afeição de ambos já estava marcada desde o primeiro vingador, que continua sendo o filme melhor desse estúdio, e o único que tem um vilão de verdade em tela.

    vejam bem, a estrutura do filmes do marvel studios é: filmes solo e depois para fechar a fase um filme de equipe, nesse caso filmes dos vingadores. foi assim nas duas fazes anteriores, embora na segunda tenha um, digamos, epílogo, com homem-formiga.

    mas com capitão américa 3 não é assim. o filme não é do capitão américa, é do UCM inteiro. é de peter parker, é do pantera negra, é do homem de ferro, é do homem-aranha CGI. e isso não estava nos planos do estúdio. foi colocado quando feige soube de batman versus superman.

    poderia fazer diferente.
    ao invés de mais uma briga de heróis, focar no que já vinha se desenhando desde o primeiro vingador e que se aprofundou com soldado invernal: a afeição entre steve e bucky. isso não deveria ser misturado com algo tão exterior quanto “guerra civil”. capitão américa é a melhor franquia desse estúdio, a única que não havia sofrido com piadas desnecessárias. mas aí se coloca num término de trilogia os maiores piadistas desse UCM: tony stark, peter parker e homem-formiga, juntos em só filme. ora, só faltou a dança do senhor das estrelas.

    eu senti muito por isso.
    era para ser realmente um filme apenas do capitão américa e do soldado invernal; apenas de steve e bucky; o amor de amigos que se nota cabalmente desde o primeiro vingador, o companheirismo masculino e sincero; mas aí feige resolve estragar a trilogia e coloca tudo de uma vez só em só filme: esse filme é uma guerra civil, é a introdução em CGI do homem-aranha, é a introdução do pantera negra, é a volta de todos os vingadores, e ainda quer ser a continuação da franquia do capitão américa. mas o que tinha de capitão américa foi simplesmente misturado com coisas alheias, exteriores e sem sentido.

    imagino a diferença que o marvel studios poderia ter feito se tivesse continuado no seu planejamento e não tivesse se deixado iludir pelo batman versus superman da concorrência.

    capitão américa 3 poderia ter sido um verdadeiro filme sobre amizade, sobre amizade inquebrantável, uma amizade quase secular.

    steve e bucky.
    clark e bruce.
    aí sim o marvel studios iria fazer uma diferença enorme.
    mas preferiram, tanto um estúdio quanto o outro, partir para briguinhas.
    porém no marvel studios isso é mais grave, pois o planejamento inicial foi mudado para uma escolha sem sentido. no caso da warner/dc snyder na comic con de 2013 anunciou esse combate.

    capitão américa 3 deveria ser apenas sobre amizade.
    mas preferiu ser mais e tudo ao mesmo tempo e perdeu.

  • Gustavo Campos

    O filme é tão bom que a única coisa que sobrou pra galera criticar foi o título =b

  • Daniel

    O filme é excepcional!!! Espero que Infinity Wars consiga bater

    https://fodapracaralho.wordpress.com/2016/05/02/capitao-america-guerra-civil-o-melhor-do-ano/

  • Vipo Free

    Putz, ate aqui esta tendo esses cara chatos que criticam por criticar e ficam arranjando brigas com a logica: “só o que gosto é bom, o restante é tudo lixo”.
    Não gosta? Legal, é só não assistir mais e ficar na sua, se sentir vontade expresse sua opinião(uma ou duas vezes é suficiente, não precisa ficar falando a mesma coisa 500 vezes), não precisa criticar quem gostou.

  • Z é

    Boa resenha. O filme foi muito bom, com lutas e piadas bem dosadas. Tem lá suas derrapadas, mas no geral vale muito a pena de ser conferido nas telonas.

  • Maxoel Costa

    Engraçado é ver povo procurando argumento furado pra desmerecer o filme. Desde o início, foi dito que não seria uma adaptação literal dos quadrinhos e sim que pegariam algumas ideias e usariam no filme. O próprio Millar havia dito isso em entrevista, enfatizando que o ato de registro continuava, assim como o ponto central da série: a briga ideológica entre dois lados que estão certos.

  • O Primeiro e o Maior

    está fazendo menos do que BvS.
    mesmo com o homem-aranha.
    mesmo com o robert downey jr.
    mesmo e principalmente por isso, com as críticas em 100% positivas.
    será que o público se sentiu enganado pela crítica?
    convenhamos que é obrigação moral fazer mais sobretudo na estreia americana.
    mas até agora não fez.
    na quinta de pré-estreia fez 2,7 milhões de dólares menos do que BvS no mesmo período.
    na sexta de estreia essa diferença saltou para mais de 6 milhões de dólares: guerra civil: US$ 75 milhões e BvS: US$ mais de 81 milhões!
    e agora?
    os críticos menos afoitos alardeavam que iria fazer mais de 200 milhões de dólares. mas segundo a clareza fria dos números não está sendo assim.
    vamos ver na sequência o que ocorrerá.