Resenha: Homem-Formiga, a missão impossível da Marvel

Por Zé Oliboni
Data: 24 julho, 2015

Desde de que a Marvel criou seu universo cinematográfico, cada novo filme é um evento muito esperado pelos fãs. E o estúdio vem provando que mesmo heróis mais desconhecidos do grande público são capazes de se destacar nas bilheterias (leia aqui sobre o sucesso do filme).

Aparentemente, um dos segredos dos filmes “menores”, como Homem-Formiga e Guardiões da Galáxia, é fazer com que a história vá além do que se espera tradicionalmente de um super-herói, mas que se mantenha dentro de um formato já testado e aprovado por Hollywood. No caso de Homem-Formiga, a linha narrativa escolhida foi a das histórias de formação de equipe improváveis para missões complexas, como Missão Impossível 11 Homens e um Segredo, dentre outros.

E essa fórmula foi uma casamento perfeito para a transposição do personagem dos quadrinhos, amarrando a história dos dois Homens-Formigas, do Jaqueta Amarela e da Vespa de uma forma muito semelhante, mas mais coerente que a dos quadrinhos.

Paul Rudd (Scott Lang) e Michael Douglas (Hank Pym)

Hank Pym, interpretado pelo veterano Michael Douglas, e Scott Lang (Paul Rudd, uma aposta tão improvável quanto Chris Pratt em Guardiões da Galáxia e igualmente certeira) são bem semelhantes às suas contrapartes originais. A principal diferença é que eles são de épocas e idades diferentes, encaixando melhor a história do ladrão que rouba o traje do Homem-Formiga original.

Não vá ao cinema esperando um grande evento com ação desenfreada, como em Vingadores, mas sim um filme bem divertido, engraçado e digno como Guardiões da Galáxia.

Vale dizer que, além de se sustentar como filme individualmente, Homem-Formiga está bem inserido no universo cinematográfico da Marvel. O filme se passa exatamente entre Vingadores – A Era de UltronCapitão América – Guerra Civil, cravando referências explícitas do seu ponto no tempo e espaço. Inclusive, um dos heróis dos outros filmes aparece no decorrer do filme e outro aparece na segunda cena extra (sim, novamente há duas cenas extras, então espere todos os créditos).

Fora das telas, uma polêmica surgiu em torno da escolha do Homem-Formiga para estrelar um filme por conta da fase do personagem em que Hank Pym bateu e ofendeu sua esposa, Janet van Dyne. Os protestos, que retomam as várias alegações de machismo no universo cinematográfico da Marvel, giram em torno da opção do estúdio de promover um personagem que bate em mulheres. Cabe dizer que a questão da violência doméstica foi amplamente discutida em todo o decorrer da carreira do Homem-Formiga e sempre foi tratada e recriminada de forma explícita.

Além disso, essa questão não foi levada para o filme, no qual Pym é viúvo e a grande questão emocional é a forma como ele abandonou sua filha Hope van Dyne (Evangeline Lilly) na infância, que serve de paralelo para a questão de Scott Lang e sua filha Cassie.

Homem-Formiga
Duração: 117 minutos
Estúdio: Marvel Studios
Direção: Peyton Reed
Roteiro: Edgar Wright, Joe Cornish, Adam McKay e Paul Rudd
Elenco: Paul Rudd, Michael Douglas, Evangeline Lilly, Corey Stoll, Bobby Cannavale, Anthony Mackie, Hayley Atwell, John Slattery, Judy Greer e Abby Ryder Fortson.

Homem-Formiga

• Outros artigos escritos por

.