Confins do Universo 025 – Doutor Estranho

Por Samir Naliato
Data: 9 novembro, 2016

Pelo Olho de Agamotto! Pelas luas místicas de Munnopor! Pelos anéis de rubi de Raggadorr!

O filme do Doutor Estranho estreou levando o mundo místico da Marvel para os cinemas. A equipe do Confins do Universo aproveita não só para falar sobre essa nova adaptação cinematográfica, mas também do Mago Supremo nos quadrinhos. Um bate-papo sobre suas origens, criadores, histórias marcantes e muitas curiosidades!

E ainda: indicações de leituras e e-mails dos ouvintes! Não perca!

Confins do Universo 025 – Doutor Estranho

.

Participantes

_____________________________________________________________

Confins do Universo recomenda

_____________________________________________________________

Comentado neste programa

_____________________________________________________________

Contato

Envie a sua mensagem com sugestões, elogios ou críticas: podcast@universohq.com
Redes sociais: Twitter – Facebook – InstagramGoogle+Youtube

_____________________________________________________________

Assine o Confins do Universo

Feed RSS – http://podcast.universohq.com/feed/
iTunes Store

_____________________________________________________________

Edição e Sonorização

O Confins do Universo é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

_____________________________________________________________

Narração de abertura e encerramento

Guilherme Briggs – Twitter – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Ilustração do Confins do Universo

Daniel Brandão – Twitter – Facebook – Site Oficial

Confins do Universo

• Outros artigos escritos por

.

  • Valdir Pedrosa

    Agora já posso assistir ao filme… Mais um excelente podcast, pessoal. Muito boa a referência do Sidão logo no início sobre o saudoso checklist. E só para confirmar o que vocês falaram: tenho uma colega de trabalho que nunca tinha ouvido falar sobre o Dr. Estranho. Ela assistiu ao filme e simplesmente adorou. Já virou fã do Mago Supremo da Marvel.

  • Marcelo Vicente

    Excelente programa pessoal !

    [SPOILER ABAIXO]

    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .

    .
    .
    .

    Sobre a cena extra onde aparece um dos Vingadores,a Marvel já fez algo parecido nas cenas extras de Homem Formiga. Não acho que seja um spoilier sobre o novo filme do Thor, funcionou mais aquela famosa frase “no próximo episódio”.

    Mais uma vez parabéns pelo excelente Podcast !

    • Rafhael Victor

      Aconteceu a mesma coisa em Matrix Reloaded, onde, após os créditos finais, puseram várias cenas da continuação, inclusive com o Neo explodindo alguns sentinelas e lutando com o Smith.

      • Samir Naliato

        São duas coisas diferentes. Ao final de Matrix Reloaded foi exibido um mini trailer, não cena extra.

        • Rafhael Victor

          É, pois é. Mas eu acho que é da forma que disseram, mesmo, Samir. A Marvel pôs uma cena que vai se ligar com o filme do Thor, mas não necessariamente está na ordem cronológica.

          Provavelmente, em algum momento, vai dar m*rda lá em Asgard e o Thor e o Loki terão que vir à Terra, e acabarão conhecendo o Strange. Minha aposta é que seja algo que esteja lá pro meio do filme, ainda mais com o diretor dizendo que ele será uma espécie de “road movie” (o que poderia ser sobre eles voltarem pra Asgard). Mas teve muita cara de cena “just for fun”, como aquele curta do Thor, da Civil War.

          • Samir Naliato

            Eu até acredito que se trata referência ao que acontecerá no próximo filme do Thor. Mas apresenta spoilers da história.

  • Gustavo Campos

    Mais um episódio excelente! Nunca imaginei que o Ditko ainda estava vivo…

    Uma coisa legal que vocês não comentaram é que quando o Kaecilius e os dois asseclas dele são levados pra dimensão negra no final do filme, eles meio que se transformam nos sem-mente (mindless ones), com os corpos cinzas e um único
    olho brilhante no formato do visor do ciclope…

    Também gostei muito do livro que o Stan Lee aparece lendo, que é The Doors of Perception, do Aldous Huxley, que fala sobre “expandir a mente” usando mescalina e outras drogas alucinógenas”, e tem tudo a ver com a temática psicodélica das viagens dimensionais do filme.

    Abraço!

    • Stephan

      Nem Jack Kirby nem Steve Ditko usaram qualquer tipo de droga para criarem quadrinhos singulares, o que causou certo espanto aos que achavam que a mescalina ou o LSD poderiam ser a origem da psicodelia presente na arte de ambos; aliás, eles, assumidamente pessoas conservadoras, foram psicodélicos anos antes da galera que embarcou na canoa furada proposta por Huxley e Carlos Castañeda!
      Isso prova que, para se expandir a consciência, não é necessário se valer de substâncias alucinógenas, basta usar a genialidade e/ou a habilidade inerente ao indivíduo.
      Melhor seria se Stan Lee estivesse lendo outro livro na cena em questão, como, por exemplo, “Ísis Sem Véu”, de Helena Blavatsky, ou ainda, “Autodefesa Psíquica”, de Dion Fortune, que estariam mais em sintonia com o caráter místico do personagem…

  • Enoch

    Pra mim o grande mérito de Doutor Estranho vai além de introduzir o universo místico da Marvel, mais do que isso, essa iniciativa felizmente distancia o público geral daquela ideia que havia no início do MCU, de classificar um filme como sendo super-herói, como se isso fosse um gênero, assim como há o terror, o suspense, a comédia, etc …
    No começo essa forma simplista de pensar podia até funcionar, mas hoje, por mais “civil” que seja o espectador, ele olha pra Capitão América, Guardiões da Galáxia e Dr Estranho e vê três sub-gêneros completamente diferentes: o super-herói mais tradicional, a space opera e a magia.
    Ou seja, a mesma variedade que há nas hqs está agora nos filmes, e isso torna mais distante aquela possibilidade tão alardeada e temida por algumas pessoas de que num futuro próximo, filmes de super-heróis cairiam num limbo.
    Aliás, talvez possamos ter filmes ainda mais focados, por exemplo, em espionagem (com a Viúva Negra), western (com o Cavaleiro Fantasma) ou até terror (com os zumbis Marvel). As possibilidades são infinitas!

    Em tempo, a história da carta do “reverendo” merece sempre ser contada ! É boa demais !!

    E quanto aos Defensores no filme dos Vingadores, todo mundo quer ver uma interação entre os grupos, o que com certeza, seria muito legal, mas sempre me vem a cabeça isso acontecendo mais como um cameo, sem os medalhões da Marvel estando tão presentes, assim.
    Tipo, Crise nas Infinitas Terras quando heróis menos poderosos estavam junto a população para salvar as pessoas comuns dos escombros, da própria população e das sombras do Antimonitor.
    Imagine que durante algo como a Invasão Chitauri no primeiro Vingadores, enquanto Thor, Hulk e Homem-de-Ferro lutavam no céu ou no topo de prédios, Luke Cage, Demolidor e Jessica Jones estivessem a proteger as pessoas de lasers e destroços.

    SPOILERS

    A cena extra com Thor não me incomodou e até pelo contrário, achei um recurso interessante mostrar que a trama evoluiu do tempo de Mundo Sombrio pra cá.
    Mas concordo com o Samir que fica impossível assistir a Doutor Estranho sem lembrar-se de Matrix e Inception, sendo que o filme da Marvel pega elementos de seus antecessores e os alça a um patamar ainda mais elevado, graças a tecnologia atual e ao talento de todos os envolvidos, em sequências de tirar o fôlego e encher os olhos ! Aliás, este é um dos filmes da Marvel em que o 3D melhor se justifica !!

  • João Felipe

    Espetacular programa, parabéns a equipe.

  • James

    Parabéns por mais um episódio duca!
    Agora…Endosso tudo aquilo que essa equipe porreta ressaltou sobre o filme, mas senti falta de comentarios sobre a excepcional trilha sonora do Michael Giachino.
    Curiosidades: Doutor Estranho aparece na capa ou contra-capa (não recordo) do 2° disco do Pink Floyd “A Saucerful Of Secrets”.
    Além disso, a canção que toca na sequência que antecede o acidente (e por extensão, a “viagem” de Strange) é “Interstellar Overdrive” do primeiro disco da citada banda. E como todo fã do Floyd sabe, possui mais de uma conexão com o universo do filme.

  • Adriano ferreira araujo

    Vocês falam tão bem que me fazem ficar curioso para ver o filme de um personagem que eu nunca gostei. Fantástico! Ou melhor, Estranho.
    E o livro da história secreta da Marvel já to lendo. Muito ótima leitura.
    Vocês sempre mandando bem!!

  • Willian Martins

    To com medo de ouvir esse episódio antes de ver o filme, não sei se esse podcast contém spoiler ou fala algo a respeito do filme que vá comprometer minha experiencia quando for ao cinema assistir.

  • Quem leu O Juramentou pegou váááárias referências no filme! Quando a enfermeira salva ele no início, os próprios quadros de quando o Stephen perde o movimento das mãos… Eu amei as homenagens diretas aos quadrinhos, arrasaram no fan service sem comprometer o roteiro :)

  • Crestomanci Tássio Sam

    Venho através deste comentário tentar sanar uma dúvida com os mestres, pois sou desconhecedor do mundo do Doutor Estranho. Minha dúvida é a seguinte: vi o filme dublado em nossa língua e durante todo o filme o personagem se auto-refere como Doutor Strange, e os demais personagens também se referem a ele assim, e não por Doutor Estranho como o título do filme. Gostaria de saber se isso foi uma “falha” de nossa adaptação comparada à versão brasileira dos quadrinhos, ou se nos quadrinhos ele, de fato, é conhecido como Doutor Strange.

    • Samir Naliato

      Strange é um jogo de palavras em inglês. Na tradução literal é “Estranho”, pois ele lida com o sobrenatural, o mundo mágico, coisas “estranhas”. Mas é também o sobrenome do personagem (Stephen Strange). Por se referir a um nome próprio nesse contexto específico, a dublagem preferiu manter o original.

  • Samir Naliato

    Curioso. O site http://www.realorfake3d.com/ lista Doutor Estranho como “Fake 3D”m ou seja, convertido.

  • Samir Naliato

    Na minha opinião sim, pois algo que será revelado na narrativa do filme é liberado antes em outro lugar sem o contexto para o qual foi desenvolvido.

  • Maxoel Costa

    O Naranjo fala que há uma incoerência no final de Homem de Ferro 3 e que se fosse um filme da DC a galera malharia. Pois bem, ao final do HF3 mostram que ele nunca deixou de ser o Homem de Ferro. Nas cenas finais. ele destrói as armaduras, promete à Pepper que deixaria de ser o Homem de Ferro e atira o arc reactor ao mar. No entanto, também fica explícito que ele não cumpriria essa promessa:

    “Eu acho que minha armadura nunca foi uma distração ou um hobby. Foi um casulo. E agora, eu sou um homem mudado. (nisso ele pega uma chave de fenda e restos de equipamento de sua mansão destruída). Podem tirar minha casa, todos os meus truques e brinquedos, mas uma coisa não podem tirar: Eu sou o Homem de Ferro!”

    Ou seja, Tony é o Homem de Ferro, não as armaduras.

    Ao final dos créditos, há o recado de que ele retornaria em A Era de Ultron, o que ele faz com não apenas uma, mas duas armaduras novas. Em Guerra Civil, também, Tony menciona que ele e Pepper estavam dando um tempo e uma das razões era ele continuar a ser o Homem de Ferro, apesar da promessa feita em HF3.

    Ou seja, ao contrário dos filmes da DC, esses tem o roteiro redondo, planejamento e se complementam.

    • Marcelo Naranjo

      Maxoel, acho que foi o Samir!
      kkkkkkk
      Abraço!

      • Maxoel Costa

        Hahahaha! Descupe o incômodo.

    • Ótima explicação. Enriqueceu mais esse filme pra mim, que já gostava dele.

  • Emerson Penerari

    Depende… quando se referem ao Herói, ele é Doutor Estranho, quando se referem ao Médico, é Dr. Stephen Strange. Como boa parte das pessoas conhece seu alter ego civil, elas o chamam de Strange…

  • Emerson Penerari

    Mais um podcast clássico, que vale a pena ouvir mais vezes! Também curti demais o filme, apesar de outros sites de entretenimento encontrarem erros, brechas e reclamarem do ritmo, ver Strange na pele de um dos maiores atores da atualidade num cenário que homenageia seu criador Ditko me emocionou demais! Quando era criança, não entendia muito aquele bigodudo de capa e achava que suas histórias eram bem assustadoras nos gibis Heróis da TV. Até comprar a edição 100 dessa revista, que conta sua origem (picotada pelo Jotapê, obviamente), mas que me fez entender um pouco do seu papel no Universo Marvel. Shamballa, Triunfo & Tormento e outras histórias magníficas vieram depois e, a cada leitura, eu me deleitava mais com o Mestre das Artes Místicas. Que venham mais excelentes histórias, filmes, action figures, podcasts e games sobre ele, que o Doutor merece! Abraços e sucesso a todos!

  • Samir Naliato

    Não entendi mal não, não se preocupe! Está certo em querer a informação correta. Era a que eu tinha, e queria saber agora!

  • Concordo com as jovens, foi o melhor filme da Marvel que já vi! Cada filme está sendo melhor que o anterior desde Homem-Formiga. Altas expectativas para o Homem-Aranha do ano que vem!

  • Adorei a dublagem, só não me agradou não terem traduzido o “Strange”, ficou muito estranho. ;) Também gostaria de dizer que as recomendações é a parte que menos aprecio do episódio, majoritariamente não tenho interesse em adquirir os produtos.

  • Que vontade de perguntar de que veículos eram os profissionais que estavam gargalhando…
    Quanto ao filme, eu gostei, mas confesso que não achei que foi o melhor do MCU. Agora, me deixou com gostinho de “quero mais”! Digo, o Doutor Estranho teve que enfrentar uma enorme ameaça logo de cara, sendo ainda poupo poderoso e bastante inexperiente, e conseguiu mais por causa da sua inteligência do que da magia (e foi uma solução bem bolada, aliás): para uma história de origem, foi bacana, mas me parece que dá para fazer muito mais coisas com a personagem, coisas mais interessantes! Estou muito curioso para saber em que direção a história dele vai seguir!
    E, como de praxe, o programa ficou ótimo! Parabéns!

  • Luiz Magno

    Ouvindo o podcast agora e estou na parte em que vocês ficam em dúvida em que momento se passa o filme do Dr. Estranho.
    Posso dizer que o início do filme (na parte do acidente de carro) se passa após Capitão América: Guerra Civil, pois o assistente dele fala ao celular “coronel da força área, 35 anos, teve a coluna fraturada num tipo de armadura…” Eles estavam fazendo uma referência a Jim Rhodes, o Máquina de Combate.

  • Cosmonautas,

    Parabéns pelo programa.

    Concordo que a motivação do Mordo não convence. No diálogo entre ele e o Stephen sobre tirar a vida de uma pessoa, o médico diz que ele foi “educado” a preservar a vida, e Mordo retruca que é necessário certos sacrifícios para algo maior. Mas no momento em que é exigido essa mesma compreensão sobre a Anciã e o uso da magia, ele se sente desrespeitado.

    Eu gostei muito. 100% satisfeito com a produção da Marvel que, como citado diversas vezes no programa, está acertando em tudo na 7a. arte (o que parece não estar acontecendo com a DC, ainda e infelizmente).

    Graças ao filme, fiquei curioso em ler as histórias do Doutor Estranho e já adquiri “Shamballa”, “O Juramento” e as edições da nova publicação periódica.

    Muito obrigado e um forte abraço.

  • Adalberto Rabello Bueno

    O Dr. Rampa não era falso, como insinua este artigo, mas que realmente inspirou a criação do personagem Dr. Estranho, da Marvel , isto é demonstrável. Vejam notícia gringa sobre a questão: http://www.comicsbeat.com/unassuming-barber-shop-a-real-doctor-strange/ Post no face também: https://www.facebook.com/dr.t.lobsangrampa/photos/a.532544976789410.1073741828.532527830124458/1418861254824440/?type=3&theater&notif_t=like&notif_id=1496301608198253