Confins do Universo 014 – Guerra Civil quebra tudo!

Por Samir Naliato
Data: 4 maio, 2016

Guerra Civil, uma das sagas dos quadrinhos de maior sucesso nos últimos anos, chega às telas dos cinemas no 13° filme do Universo Marvel Cinematográfico desde o lançamento de Homem de Ferro (2008). A aguardada produção coloca herói contra herói num embate tanto físico quanto ideológico.

Mas ela colocará o público contra a Marvel ou reforçará a confiança dos fãs no estúdio? Será que o filme dividiu as opiniões da equipe do Confins do Universo e uma guerra civil desmantelará a união desse grupo? Falamos sobre as semelhanças e diferenças com os quadrinhos, os destaques, os pontos fracos e damos o nosso veredito. Saímos da sala de cinema como #TeamCap ou #TeamIronMan?

E mais: as opiniões dos ouvintes, nossas adaptações baseadas em quadrinhos favoritas e as aguardadas dicas de leituras!

Confins014_des

.

Participantes

_____________________________________________________________

Confins do Universo recomenda

_____________________________________________________________

Comentado neste programa

_____________________________________________________________

Contato

Envie a sua mensagem com sugestões, elogios ou críticas: podcast@universohq.com
Envie a sua mensagem de voz via whatsapp para (11) 95498-2088
Redes sociais: Twitter – Facebook – InstagramGoogle+Youtube

_____________________________________________________________

Assine o Confins do Universo

Feed RSS – http://podcast.universohq.com/feed/
iTunes Store

_____________________________________________________________

Edição e Sonorização

O Confins do Universo é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

_____________________________________________________________

Narração de abertura e encerramento

Guilherme Briggs – Twitter – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Ilustração do Confins do Universo

Daniel Brandão – Twitter – Facebook – Site Oficial

Confins do Universo

• Outros artigos escritos por

.

  • Saia Jeans
  • Será que vai ter Aranhamóvel no novo filme do Aranha? :)

    • César Lima

      Se tiver o Leopardon, o robô gigante da série da Toei, já vai ser um avanço e tanto! :D

    • silas.

      Hahaha

      Boa lembrança!

      Pra mim, desde que não façam filmes com o personagem possuindo seis braços ou filmes com enredos sobre clones, tudo bem.

    • 0-Drix

      Tem que ter Aranhomóvel, o vilão tem que ser o Gibão, tem que ter uma estátua de madeira de um chefe apache no apartamento do Peter e tem que ter também o Otto Octavius como o crush da Tia May.

  • Rafael Monteiro de Castro

    Parabéns como sempre, moçada do UHQ! Ótima edição!
    Pra mim, Guerra Civil é o melhor filme de super-herói de todos os tempos. Bateu Vingadores 1, que pra mim era o melhor até então.
    Um complemento ao que vocês estavam discutindo: O Chris Evans apareceu também em Thor 2, bem rapidamente, quando o Loki assumiu a aparência do Capitão América. Não sei se isso contou no contrato dele como mais um filme.
    Abraço!

    • Don Ramon

      Chris Evans não foi creditado em Thor 2, foi uma pequenina participação especial.

  • Emerson Penerari

    Show de Podcast! Curti o filme, não o considero o melhor da Marvel ou de Supers de todos os tempos (ainda acho Cap 2 e Guardiões da Galáxia os melhores da Casa das Ideias), mas tem um roteiro bem fechado, ótima direção (apesar dos takes de luta da Viúva Negra ficarem próximos demais e um tanto confusos no 3D) e todos participam de forma relevante, até o Ross. Uma hora essa onde de filmes de quadrinhos vai dar uma esfriada e a maioria dos filmes dessa década vão se tornar esquecíveis e indicações bem coloridas para a Sessão da Tarde, mas esse filme pode ficar na lista de clássicos ao lado de Superman de Richard Donner e Batman: O Cavaleiro das Trevas do Christopher Nolan.

  • Paulo

    O único responsável por Sokóvia foi o tony…e ele não é punido.

  • Reginaldo Costa

    Guerra civil é um paradoxo: ao mesmo tempo que é um filme bem amarrado e divertido, é covarde que dói. Discute-se a responsabilidade dos heróis, mas termina por isso mesmo, a diferença é que agora os vingadores agem à margem da lei. Acho complicado um mundo onde se tenta regular as atividades de super-heróis sem uma agência como a shield. Se eles pretendem prender os heróis por agir fora da lei, como irão fazer isso, se a maioria dos super-seres está do lado do capitão? Outra coisa que irrita é o menosprezo pelos personagens da TV. Lembrando que tanto Demolidor quanto Luke Cage tem super-habilidades… Esse universo Marvel no cinema no fim das contas não é essa beldade toda não.

    • Valdir

      Reginaldo, concordo com o que você escreveu. Leio quadrinhos de super-heróis há 34 anos e sempre fiquei decepcionado com os filmes, justamente por causa da descaracterização dos personagens, bem como das adaptações das histórias. Para tentar minimizar o meu desconforto, tento imaginar que o mundo no qual se passam os filmes seja uma das incontáveis Terras paralelas que existem nos quadrinhos. Mas, sinceramente, pra mim não dá. Assisti a todos esses filmes juntamente com minha esposa e meus filhos, mas tão somente por eles e pela diversão. Mais uma vez irei ao cinema. Agora para assistir Capitão América: Guerra Civil. Porém, como nas vezes anteriores, é apenas um programa de família. Como leitor e profundo admirador de quadrinhos, os filmes não me agradam. Prefiro mil vezes utilizar o dinheiro do cinema na compra de encadernados da Panini, Salvat ou Eaglemoss. Obviamente é apenas a minha opinião e respeito quem pensa diferente. Por exemplo: tenho um primo que também coleciona HQ’s mas que, diferentemente de mim, tem gostado bastante dos filmes. É apenas questão de gosto mesmo, creio eu. E só para não perder o costume: parabéns ao pessoal do Universo HQ por mais um excelente “Confins do Universo”. Sidney, quando vier à Belo Horizonte de novo, passe aqui na Praça Sete para tomarmos um café.

    • Homem Simpson

      Ok, entendi que você levantou a maioria das questões sobre o filme comparando HQs com outra midia, o que já é ingenuidade em minha humilde opinião. Além disso, há a inadequada lógica de que se um personagem não aparece do mesmo jeito que é nas HQs, está descaracterizado e, assim, não serve. Ora, caracterização se constrói ao longo do tempo, inclusive nas HQs. Basta recordar as inúmeras mudanças pelas quais o Homem-Aranha passou durante seus 54 anos de existência naquela midia.

      Esperar que um personagem cujo carisma e coerência levaram décadas para se consolidarem aparecesse fiel e completo em pouco mais de 20 minutos de presença em tela é dar margem não só a ilusão, mas também a impaciência. Se o Universo Marvel nos cinemas está sendo construído paulatinamente, é bom saber que as coisas estão sendo elaboradas cuidadosamente no médio prazo. Se nem mesmo Tony Stark estava completamente definido logo no primeiro filme do Homem de Ferro, que tal aguardarmos o filme solo do teioso para termos uma indicação sólida de Peter Parker e seu mundinho, pelo menos?

      Sobre a ausência de agência reguladora dos meta-humanos no filme, não entendi o problema de eles serem supervisionados pela ONU, o que pareceu ser bem mais interessante. Se a Shield deixou de existir (ou nunca existiu como era nas HQs), isso faz parte da história que pretendem contar no cinema. Desculpe discordar de suas convicções pessoais, amigo, mas elas são somente isso mesmo: suas convicções pessoais. Atualmente, as adaptações evoluíram, deixando de serem apenas versões dos quadrinhos, dos livros ou de outras fontes, para terem vida própria.

    • Pulando o Corguinho

      Na série de tv do Demolidor Jessica Jones é citada, dando a entender que o governo (ou alguém) está de olho nos poderes dela.

    • Marcos Filipe

      Não tem anos de leitura em HQs, portanto não tenho tanto poder de opinião. De fato, reconheço que há uma descaracterização dos personagens. Ou das historias. Isso faz com que sintamos um sentimento de perda. Por que esperamos ver imagens fixas dos quadrinhos que sempre imaginamos nas telonas. Queremos ver a representação do que sonhamos. e quando vemos mudanças da uma frustração. mas ao meu ver as adaptações são necessárias. Um jovem de hoje talvez não se empolgasse com as piadas e personalidades de alguns herois do passado. O tempo passa, e as adaptações ao tempo vivido tem que ser feitas. Agora obviamente, uma coisa e você mudar a historia e fazer algo péssimo (exemplo: lanterna verde). Outra coisa é você fazer uma nova adaptação que traga uma boa novidade, o que pra mim é este novo aranha. ele é um garoto. e diferente de tudo que já vimos. e o ator é bom age naturalmente de forma espontânea. da a impressão que ele na vida real é o homem aranha. ao meu ver é embarcar na onda e aceitar.

  • Cast muito bom. Parabéns.

  • Eu acho que os personagens não vão sumir, mas vão começar a aparecer menos. Tipo estão introduzindo novos personagens que podem se tornar os novos vingadores, com o Capitão, o Thor, o HF e outros aparecendo mais como apoio aos novos, ou como citação de que eles estão fazendo algo em outro lugar, como acontece muito nas hqs.

  • silas.

    Apenas a minha nota: 9,5/10.

  • Z é

    Toda vez que a Viúva Negra bate dá uma joelhada em alguém nos filmes da Marvel chaga a doer até o meu rim, tamanho parece o impacto!

  • Eduardo Pinheiro

    eu não concordo com as críticas direcionadas ao vilão…o qual achei um ótimo personagem. primeiramente, ele é um homem sem poderes que consegue o que nenhum outro vilão mega poderoso não conseguiu, derrubou os vingadores. Outra, ele faz vitimas no caminho de sua vingança, mas era o custo para eliminar uma ameaça maior aos seus olhos, os vingadores, tanto que no final ele manifesta sentir pela morte do pai do Pantera Negra, e gostei d+ de manterem ele vivo, espero que ele volte num futuro filme do capitão.

  • Homem Simpson

    Desculpe, mas qual seria esse “mínimo” que você acha que uma adaptação deve ter?
    Um mínimo para que personagens e situações sejam parecidas com o que já se viu nas HQs (coisa que vem acontecendo, para o bem ou para o mal, desde o Homem Aranha de Sam Raimi) ou um mínimo de coisas que VOCÊ acha serem indispensáveis? Infelizmente, amigo, não acho que analisar qualquer coisa pelo ângulo mais subjetivo renda algum resultado relevante.

    As coisas saem como são não para agradá-lo como indivíduo, mas para gerar receita a quem investiu, gastou e produziu o filme, apelando para o que a maioria deseja assistir. Se isso tem acontecido com sucesso (repercute-se bem, tanto em público quanto em crítica), pense bem: você acha mesmo que espernear porque não fizeram as coisas como você queria vai realizar alguma mudança?

    • Stephan

      Objetivamente falando, seria bem mais simples se eles respeitassem o que os criadores originais tinham em mente (Stan Lee não conta, uma vez que atualmente ele pouco se importa se avacalham ou não os personagens). Sei que é quase impossível ser 100% fiel ao material original, daí a questão principal não é o que eu e tantos outros querem, mas sim o que os roteiristas e desenhistas queriam. Steve Ditko que o diga, já que ele detesta o que se tem feito com o Homem-Aranha nos últimos anos, e, acaso muitos outros da época estivessem vivos, decerto torceriam igualmente o nariz.
      Imagine se levassem às telas a esdrúxula versão moderna da Vampirella e ela fizesse sucesso, o que você acharia? O fato de o objetivo ser o lucro puro e simples não justifica certas “liberdades criativas”, como ocorreu com o filme da Liga Extraordinária, por exemplo, cujo resultado todos já conhecem.
      De fato, opiniões isoladas não mudam a situação, apenas externam o que milhares de leitores já perceberam, ou seja, que os quadrinhos estão totalmente submissos aos ditames dos altos executivos de Hollywood, os quais, por sua vez, estão aquém de um Darryl F. Zanuck ou Carl Laemmle, cuja gestão na Universal Studios nos deu versões alteradas, porém originais, dos já clássicos monstros Frankenstein, Múmia, Drácula e Lobisomem, entre outros.
      Novamente, o problema é como eles vem distorcendo (para pior) personagens consagrados, e é natural que os leitores veteranos, que sustentaram essa indústria por anos, se sintam incomodados, não por eles mesmos, mas sim pela completa e total falta de respeito ao histórico dos heróis.
      Volto a citar a diferença brutal entre o Homem-de-Ferro dos cinemas e o dos quadrinhos: Quem acompanhou o vingador dourado até o início dos anos 90 não o reconhece nas telas pelo simples motivo de que aquele não é, e nem pode ser, um super-herói de princípios. Em que pese Robert Downey Jr. ser 1 bom ator, ele consegue ser pior do que os vilões que enfrenta: um “herói” farrista, amoral e vingativo. Se o Wolverine fosse retratado no cinema como um pacifista do Greenpeace seria tão ruim quanto, porque não condiz com a sua natureza original.

  • Rafael Raffer

    Sidney, a identidade do Cap e a ligação entre ele e o Bucky é explicita na cena do museu no segundo filme. =)

    • Sidney Gusman

      Eu preciso rever, Rafael. Valeu!

  • Sidney Gusman

    Poxa, Valdir, muito obrigado pela mensagem. Manifestações assim nos dão uma força extra pra fazer esse trabalho pros nossos ouvintes/leitores/amigos. Abraço

  • Stephan

    De Olhos Bem Fechados foi um a bomba, indigna do gênio de Kubrick. Como eu disse antes, o problema não é enriquecer a adaptação, mas sim empobrecê-la, e a meu ver essa tem sido a infeliz regra ultimamente…

    • Homem Simpson

      E como também já foi dito antes, espernear porque não fizeram um filme do jeito que você queria não quer dizer que ele seja ruim. Pode ser que, ao contrário, justamente por não ser como você quer é que ele seja bom! 😏

      • Stephan

        Creio que você interpretou erroneamente minhas colocações, pois não quero que o mundo gire ao redor do meu tenebroso umbigo!
        Discordo do modo como tem sido distorcidos – e não adaptados com respeito – personagens que possuem décadas de existência e convivência com gerações de leitores. Mas se há quem prefira um Homem-de-Ferro sádico e mentiroso, tudo bem, só que essa nunca foi a visão dos criadores originais. Quem duvida, basta dar uma olhada nas histórias antigas do herói e comparar com o que está sendo oferecido nos últimos anos pelos “gênios” atuais da Sétima Arte.
        É fácil avacalhar/destruir algo quando o criador, ou criadores, já não está/estão mais entre nós, mas felizmente existem muitos – e não apenas alguns “fanboys” – que não concordam com isso, inclusive até quem nunca foi colecionador de gibis.
        Taxar críticas construtivas de “esperneio” não condiz com os argumentos que você utilizou lá no post sobre a Vampirella, certo? Aliás, esse foi o mote da turma que achava certo deixá-la mais ao agrado do público feminino, que os tempos já são outros, que quem é contra a mudança na Vampi é machista e pervertido sexual, etc…
        Mas, para ser justo, algumas dessas distorções já vem sendo postas em prática nas próprias revistas de uns tempos pra cá, como o estrago que fizeram no Hulk há alguns anos atrás e, do lado da DC, no John Constantine, talvez justamente para deixá-los mais “consumíveis” para uma galera que mal lê algo que ultrapasse 3 páginas.
        Portanto, meu caro, não reclame se algum dia virmos nas telonas o Justin Bieber interpretando Constantine ou o Jack Black fazendo o papel do Hulk, já que, se tais projetos algum dia se materializarem e derem lucro é porque eles estão certos, e quem discordar estará apenas sendo birrento…

        • Homem Simpson

          Tarde mais, amigo… Heimdall é preto, Tia May é gata e Robert Downey Jr. é Tony Stark.

          • Moroni Machado

            Tia May tem 51 anos cara. Muito linda

          • Reginaldo Costa

            Não, downey é um chato que nem sabe interpretar, já que seus papéis em homem de ferro e sherlock holmes (que são dois personagens tão diferentes quanto o sol e a lua) são exatamente a mesma coisa. Aquele cara não atua. Eles não usam o lado genial do stark, preferem ficar focando no seu lado milionário-playboy ou sei lá o quê. Esse homem de ferro dos filmes parece uma caricatura mal-feita do steve jobs

          • Homem Simpson

            O que foi mesmo que foi dito acima sobre convicções pessoais? Agora todo mundo é, além de técnico de futebol ou árbitro, diretor de cinema…afff.

          • Stephan

            Não, são apenas leitores “chatos” que, não raro, passaram décadas lendo seus heróis preferidos e que talvez não engulam qualquer coisa…

          • Homem Simpson

            É verdade.
            Como dizia o sábio Chapolin Colorado, “em moscas fechadas não entram bocas”!

          • Stephan

            Em contrapartida, disse o genial Orson Welles: “Muitas pessoas são bastante educadas para não falar com a boca cheia, porém, não se preocupam em fazê-lo com a cabeça oca.”

          • Homem Simpson

            Orson Welles não disse isso.
            Mas você teve o mérito de achar na internet uma citação que não foi atribuída a Shakespeare!

          • Stephan

            100% de acordo! Aquele que vemos atualmente nas telas não é o autêntico Homem-de-Ferro.

  • Thiago Candido

    um ponto que vocês discutem sobre se é editorialmente interessante a Marvel alterar nos quadrinhos o status dos personagens que exploram nos filmes. Não sei até que ponto há relação entre públicos. o público do cinema que procura quadrinhos por conta dos filmes raramente vai atrás das revistas mensais. Ele vai comprar material de livraria, sagas encadernadas. E daí a marvel vai ter material para oferecer que atenda esse público. acredito que o a quantidade de telespectadores que viram leitores de mensais é bem diminuto.

    Sobre os atores: acho que a marvel já tem uma ‘credibilidade’ perante o público para conseguir vender seus filmes independente dos atores. guardiães e homem formiga foram os sucessos que foram por conta do selo marvel e não pelos atores envolvidos. E acredito que vão alterar a identidade dos heróis. falcão ou soldado invernal assumirão em algum momento (na fase 5?) o uniforme de capitão até a lembrança do Evans diminuir. daí depois de alguns filmes Steve Rogers volta sendo interpretado por um novo ator. O mesmo ocorrerá com homem de ferro e thor. já nesse filme há uma semente plantada (que a marvel pode ou não explorar) em relação ao falcão, quando ele usa as asas como escudo.

    A fox, que não tem a credibilidade da marvel, precisa se ancorar em atores, como está fazendo com a atriz que faz a mística em x-men.

    De resto, o podcast é incrível, sou fã do UHQ desde o começo do site. reforço os votos para que o tempo entre os programas diminua. três por mês seria incrível.

    Abraços!

  • Stephan

    Não sabia que o Alan Moore era fanboy também, pois ele deixou claro porque não deveriam adaptar Watchmen para o cinema…
    Existem casos em que as adaptações livres funcionam, mas pelos próprios exemplos citados por você dá para perceber que isso depende – e muito – da equipe responsável pela película, desde os roteiristas aos diretores, e, algumas vezes, nem isso salva certas bombas, como a insossa versão do Jonh Carpenter para o Homem Invisível nos anos 90.
    Criatividade é expandir aquilo que se adapta, não tolher a obra em função de ditames passageiros e que mudam conforme o sabor da cada mais volátil platéia atual, que, salvo as exceções de praxe, não irão se tornar “fanboys”, ou seja, leitores fiéis de quadrinhos.

    • Homem Simpson

      Alan Moore fez coro com as reclamações tanto de Burgees quanto das de King, conforme eu deixem bem claro anteriormente. Aliás, eu dar-lhe-ia mais crédito se você tivesse citado ou o V de Vingança ou a Liga Extraordinária como péssimos exemplos de adaptação. O primeiro pela inversão do significado da história de Alan Moore e o segundo, por ter arruinado a fórmula perfeita para os cinemas: o uso de personagens classicos em situações novas. Alan Moore riu por último nesse caso.

      • Stephan

        Eu citei anteriormente o caso da bomba chamada Liga Extraordinária, e quanto ao V de Vingança eu não o achei tão ruim assim, mas ainda prefiro mil vezes o gibi homônimo…
        Ah, tem também o decepcionante Do Inferno, esse sim, outra nulidade cinematográfica.

        • Homem Simpson

          Acho que você não entendeu o que fizeram com o V no cinema… Do Inferno é um filme competente, acima da média, eu diria, dadas as outras adaptações sofríveis do mito do Jack, o Estripador, já feitas, mas é só isso. Claro, não daria mesmo para adaptar tudo que o Alan Moore escreveu, mas, imagine se tentassem! Seria a coisa mais enfadonha do mundo ver tudo aquilo encenado e filmado.

          É por isso que eu creio que livros funcionam bem como livros e hqs como hqs, assim como cinema funciona diferente. Reparei que ninguém aqui citou Akira, mas eu não me surpreenderia se houvesse quem reclamasse da adaptação que o próprio autor fez para as telonas. Querer que um meio seja o espelho de outro é flertar sempre com a ingenuidade, com a teimosia e com a desilusão. Eu não vou ao cinema esperando ver o que já li e sei como acaba. Se assim for, prefiro ir ver outra coisa. A vida é curta!

          • Stephan

            Por outro lado, ninguém vai ao cinema esperando ver sua obra predileta ser estragada ao ponto de ficar irreconhecível. Como salientei anteriormente, não espero que tudo seja 100% igual à sua fonte de origem, no que concordo com você que seria, no mínimo, uma ingenuidade, mas daí a aceitar algumas aberrações que acometem nossos sentidos, I am sorry, man, no way!

          • Homem Simpson

            Se a obra já é predileta, por que ir ao cinema?
            Ela vai ficar mais predileta assim?
            Tem gente que gosta é de sofrer…

  • Baita podcast :)

  • Reginaldo Costa

    Nenhum dos caras que dirige ou escreve é um Kubrick. Nenhum está nem perto.

    • Homem Simpson

      Isso é só porque você quer, meu caro!
      Há tanta gente boa por aí e que nem precisa ser Stanley Kubrick.
      Quando você puder, tire a cabeça da areia e veja por si, tá?

  • Pedro Bouça

    Uma coisa a comentar, o primeiro a separar a origem do Tony Stark da Guerra do Vietnã foi o John Byrne, em uma HQ que não saiu no Brasil.
    Admitidamente é uma história pouco conhecida (no finalzinho da fase dele como argumentista do ferroso) e já vi mais de uma pessoa, mesmo nos EUA, repetindo que foi o Ellis quem tirou a origem do Homem de Ferro do Vietnã. Não, foi o Byrne mesmo. E ele ainda teve o cuidado de não amarrar ela a outro conflito, já que uma origem no Afeganistão também ficará obsoleta daqui a 15 anos…

  • Paul

    E aí Confins? Excelente trabalho nos podcast. parabéns.Minha opinião: nenhum filme é melhor o bastante comparado aos quadrinhos, aliás… nenhuma ‘lancheira’, nenhuma mochila, nenhuma action figure, nenhum album de figurinhas, nenhum boné, nenhuma camiseta…os diálogos do Bendis em All New X-men ou dos Vingadores do Hickman não me deixam mentir. Mídias diferentes, para públicos distintos.

  • Tiago Azêdo

    Achei o filme sem historia q prendesse atenção. Tudo gira em torno de mal intendidos entre o cap. America e os demais heróis. Um vilão péssimo, sem carisma e sem motivação coerente, o pior dos filmes da marvel até agora. Não tem nenhum fato q ligue o enredo á uma guerra civil.

  • Excelente podcast, só não concordo que o Guerra Civil saia da fórmula básica da Marvel de fazer filmes, ele sai em alguns pontos, mas acaba começando e terminando praticamente do mesmo jeito.
    =/
    Sai muito decepcionado dele, achei que é um baita filme, mas não supera O Soldado Invernal e o Vingadores 1 que para mim são dois melhores filmes da Marvel.

  • Cassiano Cordeiro Alves

    Excelente podcast. Ouvi três casts sobre o filme: de um site marvete, de um site dcnauta e o de vocês. A análise de vocês é a melhor na minha opinião, pois reconhece os méritos do filme, e que estes são muito maiores que os defeitos, sem forçar a barra para enaltecer ou denegrir a película. Parabéns e continuem com o excelente trabalho. Abraços a todos.

  • dplusl

    Sidão, na cena em que o Aranha dá um coça no Falcão e depois tá pendurado dentro do salão no aeroporto, ele arregala os olhos e diz: “Oh, God!”, e logo em seguida aquele parangolé enorme quase acerta ele pelas costas, jogado pelo Soldado Invernal. Nessa cena o sentido de aranha foi bem sugerido.

  • Paulo Fernando

    Tanto falatório, tanta pompa e é mais um Filme da Marvel, que entrega as mesmas piadinha, as mesmas sequências coreografadas de lutas ( achei bacana e diferente a luta no AP do Buck) de diferente um capitão américa substituindo o hulk em força!?! um cosplay do Homem de ferro, mas pra homem de lata, e um divertido Homem aranha, que poderia ser mais explorado, nesse ponto o BVS ganha, mesmo com todos problemas de roteiro/edição, ele me entrega uma inédita luta entre o batman e o super, uma mulher maravilha inédita nas telas, um novo Batman, um novo Lex, Uma corajosa morte do superman, BVS pelo mesmo valor de ingresso entrega muito mais emoção que o Vingadores 3 guerra Civilizada.