Confins do Universo 045 – Vertigo: 25 anos

Por Samir Naliato
Data: 7 março, 2018

Em 1993, surgia a Vertigo, um selo de quadrinhos que viria a se tornar um dos mais influentes e importantes da indústria dos Estados Unidos.

A então nova linha, pertencente à DC Comics, tinha uma proposta diferente dos super-heróis tradicionais e buscava por histórias com temáticas e narrativas mais maduras. Sob o comando de Karen Berger, apresentou séries e autores de sucesso, que impactariam os anos seguintes. Sandman, Hellblazer, Monstro do Pântano, Patrulha do Destino, Os Invisíveis, Preacher, 100 Balas, Fábulas e dezenas de outras moldaram um novo paradigma.

Agora, nas comemorações de 25 anos da criação da Vertigo, relembramos as origens dessa trajetória de sucesso.

E mais: indicações de leituras, mensagens dos ouvintes e os erros de gravação!

.

Participantes

_____________________________________________________________

Confins do Universo recomenda

_______________________________________________________________

Comentado neste programa

_____________________________________________________________

Contato

Envie a sua mensagem com sugestões, elogios ou críticas: podcast@universohq.com
Mensagem de voz via Whatsapp para (11) 94583-5989
Redes sociais: Twitter – Facebook – InstagramGoogle+Youtube

_____________________________________________________________

Assine o Confins do Universo

Feed RSS – http://podcast.universohq.com/feed/
iTunes Store

_____________________________________________________________

Confins do Universo em vídeo

Canal do Universo HQ no YouTube

_____________________________________________________________

Edição e Sonorização

O Confins do Universo é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

_____________________________________________________________

Narração de abertura e encerramento

Guilherme Briggs – Twitter – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Logotipo

Damasio Neto – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Ilustração do Confins do Universo

Daniel Brandão – Twitter – Facebook – Site Oficial


Confins do Universo

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Manoel Jr

    Volta pra casa hoje será só alegria ouvindo mais esse episódio, que aliás trata de um tema pra lá de interessante pra qualquer leitor de gibi.

    Valeu pessoal.

  • Grant Moore

    Excelente podcast, espero que a maioria dos amadores do youtube ouça

    • Tem link pra Amazon? Se não tiver eles nem leem e não gostam. :D

  • Emerson Penerari

    Fantástico, como sempre! Acompanhei Monstro do Pântano na Superamigos, Sandman na Globo, Orquídea Negra, e depois a Vertigo com muitos importados na segunda metade dos anos 90, alguns fantásticos (Gangland, Flinch, Sandman Presents…) e umas pérolas de mal gosto (The Girl That Would Be Death, Battleaxes, Crusades, Vamps, User…) que guardo até hoje.

    Atualmente se compara muito a Vertigo com a Image, mas é bom lembrar que a Image só passou a produzir histórias com mais qualidade após 2002, 2003, nos anos 90 era aquele monte de marombados e meninas de pernas compridas sem roteiro nenhum.

    Só uma opiniãozinha pessoal irrelevante: um ouvinte enviou uma mensagem corrigindo o uso da palavra alcoólatra. Teve outra vez que alguém corrigiu o uso da palavra homossexualismo. Mas acredito que vocês, jornalistas respeitados, nem deveriam corrigir. As palavras gravadas existem em nosso idioma e, embora passem por um crivo dos vigilantes do politicamente correto, não tiram o sentido do que foi dito. Como há uns 15 anos, quando um entrevistado do Programa do Jô, defendendo o politicamente correto, disse que era errado chamá-lo de “gordo”. Deveriam dizer que ele tem ‘uma aparência alternativa’, o que acabou ofendendo ainda mais o apresentador e ele se recusou a concordar. Abraços e sucesso a todos!

  • Josival Fonseca

    Excelente post, como sempre!
    Tenho esperança um dia de republicarem Lúcifer – Nirvana e Moonshadow, com bela arte pintada de ambas.
    Não li a primeira e curti o texto da segunda, mas iria reler sim e como veria hoje. Pois já teve hqs que só gostei numa 2ª leitura. E não precisa ser capa-dura não, o importante é que publiquem.
    E sinto falta de mais hqs pintadas, mas a pressa das editoras é tanta que estão abandonado isso e traçando digital mesmo!

    • Josival Fonseca

      Correção: Não gostei do Moonshadow, achei enfadonho, já a arte é o máximo! Mas merece uma re-leitura.

  • Stefano Barbosa

    Incrível a contribuição britânica na Vertigo

  • Ogg!!!

    Será que rola Enigma e Kid Eternity (a mensal)?

  • Sou fãzaço dos títulos Vertigo. Hoje, na minha estante é o que mais tem. Monstro do Pântano e Homem-Animal mudaram minha cabeça no que se relaciona a quadrinhos. Mas Sandman é meu queridinho até hoje. Infelizmente a linha não tem mais a mesma criatividade e diversidade de títulos tão incríveis quanto no passado. Alguma coisa se perdeu ali no meio que travou o selo. A Image, atualmente, é o que a Vertigo era nos anos 90, com títulos criativos, independentes, autorais e insanamente bem escritos.

  • Acredito que o uso da classificação “recomendado para leitores adultos” tem mais a ver com os temas, como sexo, drogas e política, do que com a idade e maturidade dos leitores.

  • Renan Rhapsody

    Quando vão reimprimir Transmetropolitan?

  • Pedro Bouça

    Heresia! Juiz Dredd tem um monte de bons crossovers!

    • Pedro Bouça

      E Vertigo deve tudo à 2000 AD, mas cadê podcast da 2000 AD? :'(

      • Stefano Barbosa

        God save the 2000 AD, sir !

  • Douglas Coelho

    Vale destacar, baseando em alguns pontos comentados no podcast, que da Piranha Press foi publicado no Brasil aquela revista do Prince pela Nova Sampa. Olha só a equipe de luxo: capa do Brian Bolland, roteiro do Dwayne McDuffie, desenhos do Denys Cowan e arte-final do Kent Williams.
    E a editora Abil publicou The Nazz com roteiro do Tom Veitch e arte do Bryan Talbot, que mesmo com essa pegada Vertigo era só DC.

  • Gustavo Borgonovi

    Ouvi hoje e coincidentemente ou não, naquelas lembranças (“Neste dia”) no Facebook achei um comentário meu de quatro anos atrás falando sobre meu primeiro contato com a Vertigo antes de ser Vertigo:

    “Não sei qual (revista) é essa, mas uma que me perturbou tb foi a Superpowers nº 6 da Abril. Eu tinha sete anos acho, e gostava da coleção de brinquedos da Estrela. Vi o gibi na banca e comprei, pq queria ler as histórias dos “Superamigos” – pô, a Abril usava até o mesmo logotipo! Mas a edição era do Monstro do Pântano do Alan Moore, e “só” a história que a Abby é sequestrada pelo Arcane e MORRE. No fim, o “herói” repete “eu fecho os olhos… e Abby continua morta” ou algo assim. Sete. Anos. Valeu, Abril! hehehe http://lh3.ggpht.com/_Ll63fpjmnMk/Si9qiK1HUNI/AAAAAAAADW0/7TdNQslORVE/s800/superpowers%2006-480pixels.jpg

  • Larry Sampaio

    Aos 43 minutos, Sidney Gusman disse que sente medo quando ouve que Sandman será adaptado. Recomendo o curta Sandman: 24 Hour Diner, baseado na assustadora edição 06 com o Dr Dee como vilão. Bem decente. Disponível no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=5kIP70LAIBI

  • Leonardo Oliveira

    Vocês estavam falando sobre o que vocês lembram quando pensam em VERTIGO. Eu lembro de 100 Balas, foi minha porta de entrada para as HQs não super heroicas, pena que foi um lançamento sofrido, comecei pelo Nº4 ainda nas bancas , corri atras em sebos e só fechei a coleção em 2014 acho.
    Parabéns pelo programa.

  • 0-Drix

    Concordo! Também acho bem pretensioso! Não vejo esta preocupação toda com nomenclatura nos quadrinhos europeus! Sem contar que os quadrinhos da Vertigo estão mais para um público jovem e no máximo pós-adolescente do que para adultos de fato!

  • Cristiano Cruz

    Tenho todas as edições de Sandman lançadas pela Conrad (editadas pelo Sidão), antes mesmo de saber quem era esse editor, inclusive Morte, da própria editora.
    Senti falta neste Podcast de ao menos, uma simples menção ao belo trabalho da Pixel com alguns títulos da Vertigo, inclusive da excelente Pixel Magazine.

  • Andreson Melo

    Mais um ótimo episódio!!

  • Manoel Jr

    Infelizmente Xerife da Babilônia volume 1 já não se encontra mais.

  • WAGNER TORRES

    Mom Podcast, mas senti falta de uma coisa, e eu não sei se foi aceratdo antes com o OGGH:

    perguntar mais a ele sobre o que vem por ai – para 2018 – e alguns planos futuros, como exemplo:

    1) hellblazer – após terminar a reedição de origens vai republicar infernal? depois de Demoniaco vai vir warrin ellis?

    2) monstro – vai ser republicado a fase do Moore em papel melhor e depois de raizes do mal, teremos mais algo?

    3) as series novas, todas, terão continuação?

    4) quais seriam os planos para livros de magia mensal não publicada, os perdedores que pararam no primeiro volume, visões de 2020?

    5) teria algum material como alvo humano, soldado desconhecido, jonah hex, para ser publicado pelo selo?

    6) há algum interesse em trazer materiais de personagens do selo que não são dos escritores mais badalados, como MONSTRO PANTANO, PATRULHA, HOMEM ANIMAL?

    Acho que é isso.

  • James Howllet

    Obrigado…
    Uma época boa para conhecer coisas novas, diversificadas e sensacionais.

  • Enoch

    Meu primeiro contato com a Vertigo deve ter sido com Sandman ou Monstro do Pântano e numa época em que a Vertigo provavelmente ainda não existia, por assim dizer. A primeira vez que tomei mesmo conhecimento do selo foi graças ao Hellblazer então sempre que penso em Vertigo a primeira imagem que me vem a mente é do Constantine.

    Em tempo, nessa de conhecer Monstro do Pântano eu lembro de estar lendo o infame gibi formatinho e tudo que eu não esperava era uma história sobre criaturas humanoides sanguessugas que vivem no fundo de um lago. Aquilo me arrepiou pq eu era muito moleque e estava completamente desavisado quanto ao teor das histórias, por isso, na real eu nem consegui ler direito o gibi e me afastei do título por um tempo só retornando alguns meses mais tarde aí sim já sabendo (dentro do possível) o que esperar.

    Em tempo, seria legal um podcast agora sobre a Image Comics, de seu começo promissor e logo em seguida desacreditado até a volta por cima atingindo o status de cult e herdeiro espiritual da Vertigo.

  • edmetal666

    Fiquei na duvida sobre Hellblazer : será publicado no formato atual até o fim, ou o que saiu antes em encadernado não será republicado, como por ex O capote do Diabo, etc

  • J Eduardo Dantas

    rachei de rir com os extras, só porque o Naranjo não tava lá pra se defender kkkkkkkkkkkkk

  • Stefano Barbosa

    Dúvida sobre Preacher. Soube que o protagonista é pastor, mas curiosamente o traje religioso dele lembra de 1 padre. A igreja dele é 1 dissidência direta do Vaticano ?