Confins do Universo 099 – O estranho mundo de Planetary

Por Samir Naliato
Data: 18 março, 2020

Este é um mundo estranho, e cabe ao Planetary, os arqueólogos do impossível, mantê-lo assim.

Criado por Warren Ellis e John Cassaday em 1998, Planetary é um grupo que viaja pelo mundo investigando estranhos fenômenos para descobrir a história secreta do Século 20.

O resultado foi uma obra que subverte o gênero super-heróis e explora diversas referências, desde cultura pop como revistas pulp, quadrinhos, cinema e literatura; até mitos, lendas, ciência e fatos.

A série durou 27 números e teve três crossovers, e o time do Confins do Universo, composto por Sidney Gusman, Samir Naliato, Marcelo Naranjo e Sérgio Codespoti, recebeu Márcio Morena, que fez uma tese de mestrado sobre Planetary, e decidiu encarar o desafio de falar de toda ela, edição por edição, para explorar os detalhes e curiosidades usadas pelos autores.

Prepare-se e acompanhe essa nossa jornada de arqueólogos dos quadrinhos para desenterrar todas as referências de Planetary!

E ainda: erros de gravação e a participação especial de Jon Snow!

.

Participantes

_____________________________________________________________

 Confins do Universo recomenda

_____________________________________________________________

 Comentado neste programa

_____________________________________________________________

Contato

Envie a sua mensagem com sugestões, elogios ou críticas: podcast@universohq.com
Mensagem de voz via Whatsapp para (11) 94583-5989
Redes sociais: Twitter – Facebook – Instagram – Youtube

_____________________________________________________________

Assine o Confins do Universo

Feed RSS – http://podcast.universohq.com/feed/
iTunes Store
Spotify

_____________________________________________________________

Confins do Universo em vídeo

Canal do Universo HQ no YouTube

_____________________________________________________________

Edição e Sonorização

O Confins do Universo é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

_____________________________________________________________

Narração de abertura e encerramento

Guilherme Briggs – Twitter – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Logotipo

Damasio Neto – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Ilustração do Confins do Universo

Daniel Brandão (versão 1) – Twitter – Facebook – Site Oficial
Vitor Cafaggi (versão 2) – Twitter – Facebook – Instagram

Confins do Universo, por Vitor Cafaggi

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Rafael

    Irão colocar no Spotify?

    Obrigado!

    • Sim! Se ainda não apareceu por lá, logo logo aparece!

  • Gabriel Vaz

    Forte candidato ao melhor Confins de 2020, obrigado!!

    • Gustavo Azevedo

      ia comentar a mesma coisa, não deu tempo!

  • Cassiano Cordeiro Alves

    Uma das melhores hqs que li na vida. E já dou meu pitaco antes de ouvir o episódio: acredito que a saga de Snow e cia se sustenta mesmo sem as referências (mas fica infinitamente mais infeliz a experiência, com certeza).

  • James Howllet

    Aaaêêêê…!!! 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

  • Sergio

    Junto com Starman do James Robinson minha série regular dileta de todos os tempos!Mesmo com os Marvetes torrando a paciência,Planetary é multiversal(a sângria e cânone da DC!), ÉPICA, necessária!Um trabalho se não,O,trabalho definitivo do Ellis!E ainda um dia farei uma tatuagem do logo da Planetary Foudation!!!E sim Cassady é PHODA!!!!

  • Pop Art’s

    Planetary é uma enciclopedia colossal da teoria da evolucao do entretenimento e uma sagaz prova que o mesmo sempre dependeu das conquistas e especulacoes da ciencia
    Warren ellis. Tece uma linha cronologica que vem dos mitos e lendas da antiguidade ate pesquisas e teorias modernas ,como etnobotanica. E eletrodinamica quantica
    É lindo o capitulo onde ele mescla. Marvel com arthur c clark
    E o capitulo onde cruza richard feynman com teorias. De etnobotanicé uma viagem maravilhosa pela evolucao do entretenimento. Em suas mais variadas formas
    A via começa por pionneiros como h g wells e julio verne e vem se trançando. Com as novas formas como cinema ,quadrinhos até atingir um ponto onde a ciencia começa superar a imaginaçao humana
    Warren ellis é sem duvida um genio
    Dos britanicos ele esta ali pau pau com o barbudo interestelar

  • Sobre o Wold Newton do Philip José Farmer, tem um bom texto feito pelo Sean Lee Levin numa revista da UFRJ:http://revistazcultural.pacc.ufrj.br/mitografia-sequencial-fabulacao-pastiche-e-o-universo-de-wold-newton-nos-quadrinhos-americanos-das-ultimas-cinco-decadas-sean-lee-levin/ Octavio Aragão e o Carlos Orsi fizeram o conto The Last of the Guaranys publicado em antologias de Wold Newton e incluíram os personagens de O Guarani de José de Alencar no universo.

  • Gustavo Azevedo

    na edição 23 (capa) o snow é a cara (pra não dizer cópia escarrada) do bruce willis do poster do filme (horroroso) armagedom.

  • Douglas Coelho

    Parabéns pelo episódio, ficou muito bom.

    Uma das coisas que mais gosto em Planetary, é que mesmo com a quantidade referências, etc., você pode passar por cima e ainda será uma puta hq. Depois, e com mais experiência, dá pra fazer outras leituras e captar todas as nuances.

    Aliás, “referência”, de uns tempos pra cá, passou a ser escudo de história ruim. A hq pode ser uma porcaria, mas logo vêm os defensores e metem um “mais ela tem referência a isso, aquilo…”.

  • Etevaldo Marciano

    Putz, há anos queria uma versão completa de Planetary e só agora descobri, por acaso, que foi lançado no Brasil há pouco tempo!

    Agora só falta conseguir encontrar a versão completa de Frequência Global.