Confins do Universo 026 – Por dentro da CCXP

Por Samir Naliato
Data: 23 novembro, 2016

Falta uma semana para a terceira edição da Comic Con Experience, e começamos o aquecimento para este evento que rapidamente se tornou não apenas o maior sobre cultura pop do Brasil, mas também uma das principais Comic Cons do mundo.

Para bater um papo sobre a criação e os bastidores dessa empreitada, recebemos os convidados Ivan Costa (Chiaroscuro Studios) e Marcelo Forlani (Omelete), dois dos sete responsáveis por tornar a CCXP uma realidade.

Como tudo começou, desde a ideia até o projeto ser viabilizado? De onde veio o nome? Quais os principais desafios ao longo desses três anos? Qual a logística envolvida? O que os fãs podem esperar da edição de 2016? E como será a CCXP Tour, que começará em 2017, em Recife?

Tudo isso e mais algumas curiosidades (incluindo revelações inéditas) neste episódio do Confins do Universo!

confins026_des

.

Participantes

_____________________________________________________________

Comentado neste programa

_____________________________________________________________

Contato

Envie a sua mensagem com sugestões, elogios ou críticas: podcast@universohq.com
Redes sociais: Twitter – Facebook – InstagramGoogle+Youtube

_____________________________________________________________

Assine o Confins do Universo

Feed RSS – http://podcast.universohq.com/feed/
iTunes Store

_____________________________________________________________

Edição e Sonorização

O Confins do Universo é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

_____________________________________________________________

Narração de abertura e encerramento

Guilherme Briggs – Twitter – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Ilustração do Confins do Universo

Daniel Brandão – Twitter – Facebook – Site Oficial

Confins do Universo

• Outros artigos escritos por

.

  • Alessandro Paiva

    Ah não cara na boa, esse esquema das credenciais tem gente que comprou no primeiro dia e ainda não recebeu. A Mundo Geek não aguenta o volume de pedidos e contatos, isso é fato. Pensa só, você compra em abril e só recebe em novembro, ou não recebe, sendo que o evento é no 1º dia de dezembro?!

    • Sidney Gusman

      Passarei seu comentário para eles. Você não recebeu?

      E em duas edições, que eu saiba, não teve ninguém que não recebeu as credenciais. Ou não?

      • Alessandro Paiva

        Grande Sidão, eu recebi as minhas faz pouco tempo mas conheço pessoas que se encontram nessa situação. Valeu pela resposta.

        • Sidney Gusman

          Transmite o que o Ivan e o Forlani passaram, que todas serão entregues a tempo. Ou para escreverem uma mensagem direta pro perfil da CCXP.

          • Teve bastante problema no primeiro ano, Sidão. Tanto que teve reclamações o suficiente pra trocarem o pessoalempresa que gerenciava isso dos ingressos.

            Ano passado a minha também atrasou bastante chegando só às vésperas do evento, sendo que eu comprei em agosto, se bem me lembro. Se visitar os grupos no facebook você nota que não são raros os problemas.

          • Sidney Gusman

            Eu visitei, Cidão. Mas me parece que é uma minoria, perto das que são entregues corretamente.

      • Douglas Dias

        Ano passado eu não recebi uma das minhas e tive que retirar lá. Esse ano, me cobraram em dobro as credenciais (fui reparar uns dois meses depois, quando conferi a conta do cartão xD).

        A verdade é que o sistema da Mundo Geek (site/cobrança/envio) e o atendimento deles é meio zuado mesmo. Tudo se resolve (no meu caso, resolveram). Mas que isso é um problema, é sim.

        Ps. Ano passado a justificativa que me deram para a credencial não ter chego, foi que aconteceu um problema de impressão na etiqueta o.O

  • brunoalves65

    Mais uma vez não poderei ir à CCXP em Sampa, mas já estou ansioso (e guardando meus trocados) para a CCXP Tour aqui em Recife, ano que vem! Também #vaiserépico!!

  • Lilian Medeiros

    Podcast muito épico !!!! :-)

  • Rodrigo Chierici

    Uma dúvida. Não sei se entendi direito, mas esse ano terá um esquema de compra de ingresso com o frank milller para não acontecer as filas de madrugada? Se sim, isso será disponibilizado no evento ou antes.

    • Sidney Gusman

      Isso. Os organizadores anunciarão isso pelos perfis da CCXP.

    • Samir Naliato

      A CCXP abriu as vendas hoje. Aqui: http://bit.ly/2g2qwJL

    • Sarah Oliveira

      Esgotou em 3 minutos. Você conseguiu?

      • Rodrigo Chierici

        Não consegui. Entrei às 20:05 e já estava esgotado. Uma pena. Não achei que seria tão rápido. Não achei justo o preço, mas a ideia foi bem executada, melhor do que passar uma noite inteira só com a “possibilidade” de conseguir o autógrafo.

        • Sarah Oliveira

          Com certeza. Também achei essa ideia melhor.

  • Nélio Neves

    Sidney, eu estava com esperança de pegar autógrafo da Marcela Godoy, do Danilo Beyruth, Shiko… bem, acabei de perceber que queria de todos da Graphic MSP. Tem alguma notícia boa pra mim? Esses que citei não estão no Artists’ Alley. Falando nisso, você vai poder autografar todas as minhas minhas HQs durante o evento? hehehehe. Brincadeira. Só quero que você autografe umas 12. Hahahaha. #VaiSerEpico
    Meus amigos, parabéns pelo episódio.

    • O Danilo deve estar no stand da Chiaroscuro com sessões de autógrafos

      • Sidney Gusman

        Exatamente!

    • Sidney Gusman

      Nélio, este ano não virão todos. Só alguns. Não virão os autores de Bidu e Papa-Capim, o Shiko, a Lu Cafaggi e o Rogério Coelho.

      Vou checar se algum deles mudou de ideia.

      Eu estarei lá todos os dias. Pode levar os álbuns todos. :D

      Abraço

  • Helio Sampaio

    Quais são as possibilidades de trazer Alan Morre(afinal ele sai da Inglaterra?) ou George R. R. Martin para futuras CCXPS?. São dois artistas de máxima aceitação no Brasil e não vejo melhor lugar neles do que na comic con. E acertaram colocar no nordeste, tudo que coloca lá é bem recebido.

    • Nélio Neves

      Helio, eu sei que o Alan Moore não vai, por escolha dele, em eventos como esse. E para que ninguém fique convidando, o cara nem tem Passaporte. Se quiser autógrafo dele, vai ter que ir até Northampton e torcer para achar o cara na rua. Só que ele não autografa nada da DC ou Marvel.

    • Sarah Oliveira

      Acho que isso nunca vai acontecer hein…

  • João Carlos Rocha

    Acompanhava o Omelete desde 2003, achava o trabalho deles excelente quando era focado principalmente em quadrinhos. Dava pra perceber o que faziam as matérias com muita vontade e um carinho especial. De uns tempos pra cá o site cresceu muito, e com isso, deixaram de lado as HQs para dar mais espaço a outros assuntos. Uma pena que com isso, aquilo que era, para mim, um produto “artesanal” acabou se tornando uma “linha de produção industrial”.
    Saudade daqueles tempos.

    • James

      Comentei algo parecido no review do Hessel sobre a HQ do Thanos, escrita pelo Jeff Lemie.

      • João Carlos Rocha

        Também sou um saudosista, gostava muito do trabalho do trio fundador e das resenhas do Érico Assis (acho que é esse o nome). Hoje os caras viraram grandes empresários, e não tiro o mérito deles, mas acredito que acabou virando um enlatado de cultura pop e perdeu aquele “tempero especial”. Dá pra perceber isso pelos primeiros omeleteves comparando com os recentes.

  • Pessoal do UniversoHQ, só um toque pro pessoal do Radiofobia: achei q neste episódio a trilha de fundo em muitos momentos atrapalhou o papo (volume muito alto, músicas com muitos “picos”).

    • Sidney Gusman

      Boa observação.

      Abraço

    • Sarah Oliveira

      Verdade, também percebi isso, até achei que fosse problema com o meu fone/celular.

  • Amalio Damas

    Eu tenho um ritual desde os anos 2000 que é chegar em casa e acessar alguns sites “nerds”, nestes anos alguns sairam e outros entraram, mas universohq e omelete permaneceram. Fui pela primeira vez na CCXP ano passado quinta e sexta e foi TOTALMENTE EXCELENTE. Comprei esse ano os 4 dias e a partir de sempre farei isso. Que evento fantástico! Além disso, encontrei com o Forlani na feira em dois momentos e minha amiga que me acompanhou na Comic Con, queria uma foto com ele e nas duas vezes que falei com ele, o cara foi simplesmente fantástico, solícito, gente boa pra caramba. Também conheci o Sidão pessoalmente, isso foi muito bom também. Parabéns a todos!

  • Seria bom se vingasse um calendário de eventos, alguns até tentam como os sites Calendário Geek, AnimeTokuVideos e Projeto Otaku, mas nenhum deles cobre todos os eventos.

  • E Sidão, quando vc falou dos fãs que ajudam me senti representado heheheheheh

    • Sidney Gusman

      Você é um deles, certeza.

      Abraço

  • Thi Chab

    O trabalho de vcs tá muito foda, meus parabéns
    Excelente podcast

    • Sidney Gusman

      Obrigado. :D

      Abraço

  • César Lima

    A dimensão da CCXP requer pelo menos 2 dias para entendê-la em sua plenitude… recomendo fortemente a quem ainda está em dúvida. Quanto ao podcast, só queria fazer um registro quanto ao comentário sobre os cosplays e a atração à parte em que eles se constituem no evento: creio que o mérito pioneiro desse tipo de atividade no Brasil coube aos fãs de Star Trek e Star Wars nas suas respectivas convenções especializadas que vêm desde os anos 90 (notadamente as convenções da então Frota Estelar Brasil e as Jedicon), que precederam em vários anos os eventos otaku/manga/anime no qual o costume se popularizou com a garotada. :)

  • David Jesus Vignolli

    Excelente podcast! Adoro as entrevistas de voces. A CCXP está revolucionando o mercado de quadrinhos do Brasil e o formato das Comic Cons no mundo. É fantástico ver o crescimento e desenvolvimento dos sites do Universo HQ e Omelete especialmente pra mim que acessa estes sites a muitos anos. Parabéns a todos os envolvidos!

  • Gelogurte

    Olha, de cara tive um bom pressentimento com a CCXP e não me arrependi. Em 2014 já fui de FULL EXPERIENCE, paguei em 10 vezes e guardo como uma das melhores experiências da minha vida. Nunca fui tão recebido e sei que não aproveitei metade do que poderia. A vida me impediu de ir em 2015, mas esse ano vou de novo levando esposa, filha, prima, irmão e sobrinha (infelizmente não dá pra ir de FULL).
    Vale cada centavo, cada segundo nas filas. É lindo!

  • Don Ramon

    Mais um belíssimo podcast nesse bate papo com a turma do CCXP, desejo muito sucesso ao CCXP itinerante, que é uma ideia bacana pra sair do eixo RJ/SP. O público que é fã de quadrinhos e cultura pop precisava disso e no mais fiquei surpreso com o tamanho do evento atualmente que deve superar a San Diego em número de pessoas, então nada mais justo que o sucesso merecido. Pra frente é que se olha!

  • Sarah Oliveira

    A minha única queixa em relação à CCXP é em relação aos painéis principais. Tipo, se você quiser entrar em um painel, você tem que chegar lá 5:00h da manhã. Não entendo porque simplesmente não entregam uma senha. Minha ideia: (por exemplo) são 5 painéis no auditório principal. 1- Star Wars, 2- DC, 3- Marvel, 4- Warner, 5- Disney. O primeiro começa às 9h. Assim, às 8h serão distribuídas senhas para todos os painéis do dia. Formem as filas normalmente, mas você vai poder escolher em qual você quer ir (pode escolher todos, se quiser). Tipo: eu só quero ir no da Marvel e no da DC, então eu pego duas senhas (que já vai ter o número do meu lugar e o horário que eu tenho que estar no auditório). Ponto. Assim eu garanto o passeio pela feira e sei que eu vou conseguir entrar no painel que escolhi assistir. Caso a pessoa não esteja no horário ou perca a senha, problema dela! Não vai entrar no auditório (é fácil de controlar, é só colocar um segurança na porta). Acabou! Realmente não vejo dificuldade para fazer algo assim. Alguém poderia contrapor o meu argumento?

    • Em partes porque seria necessário ou a) esvaziar o auditório e encher novamente com pessoas portadoras novas senhas e/ou b) conferir cada uma das até 3000 pessoas que já ficariam lá dentro se elas têm ou não a senha pra estar ali para o próximo evento (porque com certeza vai ter gente que vai tentar ficar ali sem senha). O tempo pra fazer tudo isso certamente seria muito maior que o tempo do intervalo atual entre os painéis (algo de 10 ou 15 minutos), o que refletiria na quantidade de atrações por dia, o que por fim diminuiria a diversidade de assuntos abordados num dia (algo que eles sempre prestam atenção). Outro problema seria o “cambismo”, que é citado no podcast para as senhas de autógrafos. Fora que se fosse criada uma fila para retirar senha, teria gente chegando as 5 da manhã pra garantir a senha do mesmo jeito que hoje, o que talvez pudesse ser feito online, mas daí entram novamente os problemas de logística que comentei, mais os custos com infraestrutura (quantidade de gente acessando o site para pegar a senha exigiria um servidor potente) e impressão de ingressos. Eu entendo essa queixa, eu mesmo a tenho, e gostaria de poder garantir meu lugar em vários painéis sem precisar chegar de super cedo ou passar pela terrível ansiedade de acabar do lado de fora e ter tido o esforço em vão ou ter que comprar um ingresso de 7 mil reais, mas para o bem ou mal, são assim que esses eventos funcionam (até SDCC e NYCC continuam assim).

      • Sarah Oliveira

        Concordo com você em partes. O que eu tinha imaginado realmente era esvaziar o auditório todas as vezes no intervalo de cada painel. Não acho que isso seria um grande problema (mesmo sendo 3.000 lugares), mas também concordo que levaria mais tempo e isso poderia sim diminuir o tempo de cada atração. Mas não sei se tirar 10 minutos de cada painel faria uma diferença tão grande. Não sei. Seria uma troca. Para melhorar a logística, teremos que diminuir o tempo de palco. E em relação à distribuição de senhas, não seria online, seria na hora. E o custo seria quase zero, pois teria patrocínio (igual as credenciais que tiveram patrocínio do Tele Cine). Pensei em algo simples mesmo, tickets básicos. Numerados e com cores diferentes. Agora, o que eu realmente não tinha pensado e você argumentou, foi a questão do “cambismo”. Infelizmente isso iria acontecer e com certeza teria gente comprando dos cambistas. Talvez para evitar isso, as senhas teriam que ser entregues com o nome ou RG de cada um, mas isso tornaria o processo lento. Não vejo solução.

        • 10 min por intervalo painel = 2 horas de painéis por dia perdidas.

          • Sarah Oliveira

            Mas você só perde 10 minutos de CADA painel. O que eu estou tentando dizer é que eu conheço várias pessoas que queriam assistir apenas UM painel e foram obrigadas a assistir TODOS, porque sabe que não conseguiria entrar depois. Você tem o painel 1, 2, 3, 4 e 5. A pessoa só quer ver o 5. Não dá. Então ela fica 72 horas na fila, para conseguir simplesmente entrar no auditório e depois dorme durante os 4 primeiros painéis, e só assisti o último. Logo, ela não aproveitou nada da feira e ainda “roubou” a oportunidade das pessoas que queriam assistir os 4 primeiros painéis. Eu afirmo isso, porque eu conheço pessoas que fizeram/fazem isso. E elas realmente dormem durantes os painéis que elas não se importam. Não acho justo, entende? É claro que provavelmente, a maioria das pessoas querem ver todos os painéis e etc., mas acredito que deveria ser criado um sistema mais justo. Entendo a dificuldade, mas sei lá.

  • Eli Morenno

    Depois do episódio com JP, o verbo que se fez entre os fãs, esse episódio deveria ser obrigatório para todo moleque espinhento ou velho saudosista vipuva de Claremont & Byrne (eu entre eles) entender de uma vez por todas: seu artista favorito é um profissional, seu personagem favorito é um produto e sua editora favorita é um business, parem de mimimi e get a life!

  • Robson L

    Alguém sabe o nome da trilha que toca aos 42min46s até 43min16seg?

  • Thiago Candido

    muito bom o programa, interessante acompanhar as histórias sobre a criação da ccxp, sobre os processos, etc. Mas achei o programa um tanto quanto, me perdoem, ‘amigo’. do evento. óbvio que não queria um programa agressivo, mas senti falta de perguntas sobre os problemas de infra estrutura como os que ocorreram no ano passado. ok, aquela entrada era por conta das obras, mas foram incontáveis os acidentes, principalmente no fim do dia. eu mesmo levei uma queda que só não torci o tornozelo por um milagre de Odin. A refrigeração precisava ser mais intensa (no sábado vim embora – e deixei de gastar – porque não dava para ficar naquele forno) e o número de bebedouros era ínfimo, fora o preço extorsivo cobrado por uma garrafinha d’água de marca genérica.

    Comprei meu ingresso no primeiro lote, irei nos quatro dias, mas adoraria ouvir o que a organização do evento planejou para dirimir esses problemas.

  • yuji

    Pera, se quadrinistas com material novo pra lançar são priorizados, por que tantos ficaram de fora nessas condições em quanto que artistas sem quadrinho algum conseguiram vaga só para mostrar projetos de personagens?

  • Rekrap

    Rapaz, saudade do site putaquepariu… Bela lembrança!!!

  • Wilian Arruda

    Ótimo podcast, bom saber que temos grandes profissionais por trás desse evento que espero que cresça ainda mais. Não somos San Diego, mas podemos ter o gostinho de receber artistas tão legais que só podemos ver na TV. Mas não sei o que é pior, eu reclamei do preço dos ingressos antes e não comprei, e agora estou frustrado porque perdi o encontro de podcasters e as bancas com os artistas que eu adoraria comprar uma arte para pendurar na minha parede, mas paciência, quem sabe ano que vem #VaiSerEpico