Confins do Universo 049 – Thanos Infinito

Por Samir Naliato
Data: 2 maio, 2018

Dez anos depois da estreia do filme Homem de Ferro nas telonas, o Universo Marvel Cinematográfico chega ao seu ápice, culminando na primeira grande saga de super-heróis nos cinemas: Vingadores – Guerra Infinita.

Thanos chegou, implacável, e nem mesmo a reunião dos heróis poderá ser suficiente para impedir os planos do Titã Louco.

A Marvel Studios conseguiu ser bem-sucedida em tal proeza? Thanos superou o trauma dos vilões irrelevantes? Quais são os pontos fortes e fracos do filme? O que acontecerá a partir de agora? Analisamos todos os spoilers, referências e ramificações deste longa-metragem, que estreou quebrando recordes pelo mundo!

E ainda falamos muito sobre Thanos nos quadrinhos.

.

Participantes

_____________________________________________________________

Confins do Universo recomenda

_____________________________________________________________

Comentado neste programa

_____________________________________________________________

Contato

Envie a sua mensagem com sugestões, elogios ou críticas: podcast@universohq.com
Mensagem de voz via Whatsapp para (11) 94583-5989
Redes sociais: Twitter – Facebook – InstagramGoogle+Youtube

_____________________________________________________________

Assine o Confins do Universo

Feed RSS – http://podcast.universohq.com/feed/
iTunes Store

_____________________________________________________________

Confins do Universo em vídeo

Canal do Universo HQ no YouTube

_____________________________________________________________

Edição e Sonorização

O Confins do Universo é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

_____________________________________________________________

Narração de abertura e encerramento

Guilherme Briggs – Twitter – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Logotipo

Damasio Neto – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Ilustração do Confins do Universo

Daniel Brandão – Twitter – Facebook – Site Oficial


Confins do Universo

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Cypher

    Primeiramente parabéns pelo cast, abordaram bem o background dos gibis.

    Acho que foram um pouco injustos com o Thor. Apesar de não ter achado Thor: Ragnarok grande coisa (pelo menos é melhor que os 2 primeiros filmes horrorosos), pra mim eles acharam o tom do personagem no cinema, e até Chris Hemsworth me pareceu melhor no papel. Vendo pela segunda vez, fica clara a influência do terceiro filme no senso de humor do Thor, que tem várias sacadas engraçadas durante o filme. Só que dessa vez, ele usa isso mais como um mecanismo de defesa, já que como ele mesmo disse, ele não tem mais nada a perder. Consegui ver o humor e o drama muito bem retratados ali naquele diálogo com o Rocket. Acho trabalharam muito bem isso.

    A respeito do Caveira Vermelha, acho que ficou mais no fan service mesmo. A minha interpretação foi que no final do primeiro Capitão América, ele sumiu naquele portal aberto pelo pelo Tesseract e foi transportado pra Vormir, pra ser o guardião da Jóia da Alma. Foi um castigo pela obsessão por poder que o personagem tem. E como as jóias tem uma certa interação, e se comunicam entre si (isso é citado no filme), eu comprei a ideia de boa.

    E sobre a Gamora, pra mim foi uma das partes mais emocionantes do filme. Eu acreditei na dor do Thanos tendo que sacrificar a única filha que ele realmente amava. Pra mim, isso foi bem trabalhado durante o filme, que não mostrou o Thanos como um ser perverso e sem alma, mas como um personagem complexo, com motivações e emoções. Aliás, muito do peso que o vilão tem deve ser creditado ao Josh Brolin e aos efeitos visuais. Dava claramente pra ver a atuação do cara ali. Me remeteu ao vilão da Liga da Justiça e seu CGi da PlayStation 2. Quanta diferença!

    Filmaço pra ser visto várias vezes no cinema! Abraços a equipe!

    • Sidney Gusman

      Valeu, Cypher. O menos paciente com o Thor – Ragnarok (ou Thorpalhões, como o chamo pra sacanear) sou eu. Os demais gostaram mais do que eu.

      Mas, como sempre digo, viva a diferença! :D

  • Cesar Constantino

    O podcast do Confins são sempre difíceis de baixar. O download falha várias vezes!!

    • Sidney Gusman

      Cesar, em que plataforma? Pra gente ver com o pessoal da técnica.

  • Felipe Amorim

    pensando no guardiães 1 que a galera sofria pra usar a jóia, fico pensando se o que vai acontecer não é um esquema do tipo Steve Rogers consegue vestir a manopla, mas ele precisa se sacrificar para trazer tudo de volta (já que o chris evans não vai voltar). Bem num estilo final de madoka magika hahaha

    Outra possibilidade, que eu vi é gente falando do homem formiga trazer a galera pelo multiverso(acho horrivel a ideia), mas me fez pensar, e se o capitão chris evans se for e vier um outro capitão de outra realidade? No estilo dessa saga que teve (que eu não li haha) que trouxe old man logan e outros pro universo regular

    • Felipe Lima

      Cara, espero que o cinema não vá por essa onda de universos paralelos e tal, acho muito ruim. Mas vamos ver…

      • Guilherme Roque

        para quem está acompanhando Agents Of Shield tudo leva a isso, ir para os multiversos….. Já está no ep 19 da 5ª temporada e parece q no 20 ja será afetado pelo guerra infinita, no 19 já citaram os eventos em NY e a aparição do Graviton, então o barato vai ficar louco!

        • Felipe Amorim

          eu to achando muito que vão mudar os atores nessa desculpa de multiverso

          • Guilherme Roque

            será?? Eu já não consigo teorizar nada depois do Guerra Infinita

  • Benício Ernesto

    Se o Helicóptero do Thanos não foi citado este podcast necessita de atualização agora!!

  • Sidney Gusman

    Acabei de almoçar com um amigo (mais de 40 anos) que odiou o filme. Ficou “pistola”por ver os heróis massacrados.

  • Enoch

    Se por um lado Vingadores: Guerra Infinita é o ponto mais alto de uma iniciativa que hoje completa uma década, por outro, ainda que seja um filme muito bom, é o filme que menos me satisfez de toda a até então trilogia Vingadores.

    Talvez a culpa dessa “decepção” quanto ao mais recente episódio do MCU resida justamente em suas maiores qualidades. Um universo cinematográfico que em seu percurso acertou primorosamente muito mais do que errou, gera uma alta expectativa. Outro fator, é que é compreensível que após dez anos, alguns pequenos desgastes ou fissuras relativas a coesão cronológica comecem a dar sinal.

    Não gostei de certas coisas no filme. Estou longe de ser o maior fã de Thor Ragnarok mas aqui, toda a mudança a que foi submetido o asgardiano é desfeita na medida do possível. O filho de Odin ganha um novo olho que aliás é biônico… Sério? Num filme com todas as Joias do Infinito e com tanto super-herói se esbarrando não poderia o olho natural de Thor ser restituído ? E tb por algum motivo, ele volta a se sentir desesperado sem ter um martelo em mãos, alegando que só assim poderia derrotar Thanos.

    O Capitão América, a Viúva Negra e o Hulk mal aparecem. Chega a ser triste como os Russo ignoraram quase tudo que Whedon fez pelo Golias Esmeralda nos dois primeiros filmes.

    Talvez haja uma boa justificativa, mas personagens queridos como o Gavião Arqueiro, Homem-Formiga e a Valquíria simplesmente desapareceram.

    Quanto ao personagem principal, Thanos lembra Bertrand Zobrist, o vilão do livro Inferno, de Dan Brown, uma vez que em sua visão o genocídio está ligado ao fim que justifica os meios. Nisso, todo o amor do Titã Louco pela entidade Morte visto nos quadrinhos é completamente ignorado no cinema. Talvez pra não ir de encontro a cena em que Gamora é sacrificada. Okay, vai, mas perdeu-se aí uma ótima oportunidade de trazerem de volta a Cate Blanchett. Ou quem sabe, de apresentarem a Angelina Jolie ou a Charlize Theron no Universo Marvel.

    Vale dizer também que nem toda cena de ação convence ou empolga. Acho que faltou levar em conta que o público (nerd ou não) já está habituado a ver super-pessoas lutando e podiam ter caprichado um pouco mais na elaboração de algumas cenas para evitar a mesmice.

    Mas, enfim, se Vingadores: Guerra Infinita não é perfeito. Está longe de ser ruim. Na verdade, é um filmaço. É o mais perto que a telona já chegou até hoje de exibir uma trama com a mesma atmosfera dos megaeventos das hqs e, ainda, de forma muito bem feita, utiliza-se do velho clichê de heróis que se estranham, se enfrentam, depois se conhecem e unem forças.

    Se o Capitão América, a Viúva Negra e o Hulk aparecem pouco, ao menos, cada um deles, protagoniza uma boa cena de ação. Principalmente Rogers que chega a ter um momento emblemático ao confrontar Thanos.

    Thor depois de apossar-se do Rompe-Tormentas, torna-se o Deus do Trovão pelo qual muitos estavam esperando há anos. Outro herói bem aproveitado no filme é o Dr. Estranho.

    E mesmo personagens menores como Nebula, Okoye, Shuri, Mantis e Wong encontram a sua chance de brilhar ao sol.

    Destaque, para o Homem-de-Ferro e Homem-Aranha, com certeza, dois dos personagens mais bem aproveitados dentro do filme, com direito até a um upgrade em suas respectivas armaduras/trajes.

    Some tudo isso a um final quase shyamalanico e temos diante de nós uma ótima pedida para um filme que merece ser visto, revisto, comprado, comentado, discutido e celebrado.

    Em tempo, tb senti muita falta do sentido de aranha em De Volta Ao Lar. As pessoas elogiam tanto a cena em que o Toomes conhece o Parker e dá carona pra ele e pra filha, mas se levarmos isso em consideração, talvez essa cena nem devesse ter acontecido.

  • silas.

    Em primeiro lugar, eu curti muito o filme. Dou nota 4,5 de 5. Acho que vale cada centavo e cada segundo numa sessão de cinema, especialmente no IMAX. Mas só pra comentar algum ponto problemático, na minha opinião: acho lindo trazer referências a Walter Simonson, mostrar a Rompe-Tormentas, o jeito como juntaram parte dos Guardiões da Galáxia com o Thor numa quest boa de acompanhar, etc, porém eu achei e ainda acho um tanto estranho, em questão de roteiro, o Deus do Trovão meio que se reconectando aos poderes ao enfim utilizar uma nova arma… por ser esse Thor o mesmo vindo dos acontecimentos do filme cujo título é Ragnarok.

    “Você é o deus do martelo ou o deus do trovão?” foi uma fala certeira no terceiro filme do Thor – filme que, putz, eu não curti ser TÃO comédia – e algo que passou bastante pela minha mente, depois que eu findei a sessão de Guerra Infinita e comecei a avaliar o quanto aprovei o terceiro filme dos Vingadores.

    Ah, o Thor em ação tá sensacional! Minha crítica, digamos, a respeito de uma parte do roteiro focando nesse personagem não anula o baita divertimento que foi ver o cara, aliás, o homem mais porradeiro do que nunca numa grande batalha. Minha crítica é só uma questão de “Hummm, aquilo ali eu acho que eles não amarraram tão bem…”.

    Abraços!

    • Sidney Gusman

      Silas, esse lance do Thor, assim como o do olho, só mostram (na minha opinião) que Ragnarok foi muito mais um capricho do diretor do que algo pensado dentro do “coeso” universo que a Marvel montou no cinema.

      Como falei, trocaram o pneu com o carro andando.

      Abraço

  • É bem verdade que nenhuma adaptação cinematográfica fez jus ao Homem-Aranha, acho que a melhor adaptação ainda é a série animada The Spetacular Spider-Man, sobre o Caveira Vermelha, havia uma suspeita de uma volta dele, o TV Tropes tinha essa possível volta e na HQ prequel ele aparecia, sendo portando um spoiler.

  • OMAC

    Pirei quando o Dr. Estranho usou as faixas escarlates de Cyttorak

  • Alessandro Souza

    Será que ninguém sacou a referência a outra obra de Starlin, fora do universo Marvel, a graphic novel O Preço?

  • Excelente programa pessoal, eu adorei o filme, tem as suas falhas e defeitos, tem algumas coisas que me incomodou também, mas achei realmente muito bom, acho que desde o primeiro Vingadores que eu não saia contente do cinema por ter tido a impressão de ter visto um gibi que ganhou vida, e se tratando de filmes da Marvel, desde o Guardiões 1 que eu vinha reclamando da qualidade dos filmes, da repetição de formato e exagero de piadas fora de hora, ai esse ano veio o filme do Pantera que foi muito bom depois de um bom tempo que eu vinha me decepcionando, o Guerra Civil que vocês vivem falando que adoram, eu acho o um dos filmes mais decepcionantes do Studio, mas não é por não ter a grandiosidade que teve a saga nos gibis, são outros motivos; agora o Guerra Infinita é justamente o contrário, achei corajoso e inovador, pois para nós, leitores de gibis, estamos acostumados com mortes e retornos, mas para o grande público é realmente corajoso fazer isso.

    Grande Sidney Gusman, eu nunca concordei tanto com você quando falou sobre o atual Homem-Aranha, para mim não é a melhor adaptação do personagem como dizem e para mim na verdade nem é o Aranha/Peter Parker, é exatamente como disse, é uma mistura da história do Milles com a história do Parker, mas mais puxado pro lado da história do Milles, tanto que as vezes chamo ele de Peter Morales, ou Miles Parker que seria o jovem adotado pela tia May, eu achei o Homecoming bem decepcionante e que a única coisa que é realmente boa do filme é a reinvenção do Abutre, gostei demais dele e prefiro muito mais dele do que o dos gibis, tirando é claro a parte de ser pai da Liz Allen.

    Bom, só isso mesmo que tenho para falar, um grande abraço e uma pena que o episódio do Aranha: De Volta ao Lar não foi ao ar, queria ouvir mais as opiniões do pessoal. Grande abraço.

  • Rodolfo Domingos

    Eu tenho uma teoria sobre a Capitã Marvel. Será que a Capitã Marvel está sumida do universo até agora porque ela está com alguma doença terminal tipo câncer adquirido dos poderes dela, e assim ela precise ficar em um isolamento e só aparecer quando realmente for necessária… e o lance dela ser a personagem mais poderosa não seria de força fisica, mas sim de força de vontade e heroísmo e lutar por algo maior que a propria vida dela…?

  • Podegoso Shumy

    Finalmente, esperava o Confins do Universo analisar o Guerra Infinita! ouvindo!

  • Allan Spencer

    O Super-Homem também voltou da morte…so, they’ll all be back! hehe…

  • Allan Spencer

    Também achei que o Hulk tá com medo.

    • Dimas Mützenberg

      Eu achei mais que ele ficou ressentido com a parada de ter sido banido e se recusou a voltar à ativa na terra, onde o povo achava ele uma ameaça.

  • Allan Spencer

    O fato de o Thanos “conhecer” o Tony não seria por ele ter surgido na revista do Homem de Ferro #58? Não seria isto um ‘Easter Egg’ para os mais aficionados nerds colecionadores das aventuras produzidas pela Casa das Ideias??? Ou nada a ver? hmmmm

    • Pedro Bouça

      Pode ser uma referência mesmo.

  • Dimas Mützenberg

    SPOILERS ABAIXO!

    É incrível como tudo no MCU é muito bem pensado. Essa matança geral no fim do filme parece ter vários motivos de existir.
    Primeiro, mostrar que Thanos era de fato algo a se temer desde o início. Se depois de 6 anos anunciando o vilão, aquela expectativa toda, é joia pra lá, manopla pra cá, ele aparecesse agora e levasse um piau, descreditaria muito do alarde feito em torno do personagem. Dessa forma não, mostraram que de fato o risco era grande e terminou dando merda pros heróis mais poderosos da Terra.
    Segundo é uma questão logística para o próprio estúdio. Esse filme era o filme pra mostrar todo mundo junto, falavam em 70 e poucos personagens no filme e entregaram. Beleza, agora já vimos essa quantidade enorme de personagens num filme evento, que era o sonho de todo leitor. E agora? Botar 140? Acho que escolheram pelo contrário, limar metade e dar aquela enxugada, para no próximo filme trabalhar novamente com um grupo menor, mais coeso, menos personagens e atores e tal. Afinal como eu disse, a missão de mostrar “todos” os personagens num filme já foi cumprida.
    E esse grupo coeso leva pro terceiro ponto. Os caras vão botar o grupo original junto! Se em Guerra Infinita o negócio foi a grandiloquência, o que fazer a seguir pra ganhar o fã de novo sem se repetir? Bota os Vingadores Clássicos na tela!
    No final os heróis revertem a morte da rapaziada e garantem a volta das franquias com todos seus personagens vivos.
    Esse Kevin Feige é um filho da puta haha. É tudo amarrado desde o início. Só posso bater palma pra esse tipo de planejamento.

    PS: Posso estar falando besteira e todo mundo que morreu voltar no início do próximo filme e minha teoria ir pro ralo. Mas só consigo pensar nisso.

  • Luiza Ayres

    Elementar meu caro Watson….

  • Cassiano Cordeiro Alves

    Quero simplesmente registrar o óbvio: mais um baita podcast, com debate e informação em alto nível sobre o tema. Incrível como minhas opiniões sobre filmes de super-heróis quase sempre coincidem com as do Sérgio Codespoti! Perdoem a pretensão, mas é quase como se eu estivesse aí opinando. Sobre o filme, creio que considerando a ousadia, a forma competente como os diversos núcleos de personagens foram conduzidos, a excelente caracterização do Thanos, mais a diversão e espetáculo visual, não há como não dar nota 5. A propósito, para mim ficou claro que o Dr. Estranho está tendo um papel similar ao do Warlock em Desafio Infinito. E não estaria o Loki trapaceando mais uma vez? Forte abraço a todos.

    • Cassiano Cordeiro Alves

      Ah, teve alguém que comentou que a chegada do Nômade para salvar o Visão e a Feiticeira teria sido um “tremendo deus ex machina”. Na verdade, ficou muito claro que o Banner contatou Steve e avisou para chegar ao Visão. Então, não vejo nada de errado nisso.