Confins do Universo 030 – 100 anos de Will Eisner

Por Samir Naliato
Data: 8 março, 2017

Will Eisner, um dos maiores mestres dos quadrinhos, teria completado 100 anos no último dia 6 de março, se estivesse vivo.

A marca centenária é o momento perfeito para relembrarmos a vida e a obra desse mestre, e prestarmos nossa homenagem por tudo o que ele fez em prol da arte sequencial. Desde o início de carreira, passando pela criação de Spirit, os tempos em que serviu o exército norte-americano, a era das graphic novels e até os últimos trabalhos, discutimos as curiosidades e inovações de suas obras.

Venha conosco nesse papo imperdível, que conta um pouco da História das histórias em quadrinhos!

Confins do Universo 030 - 100 anos de Will Eisner

.

Participantes

_____________________________________________________________

Confins do Universo recomenda

_____________________________________________________________

Comentado neste programa

_____________________________________________________________

Contato

Envie a sua mensagem com sugestões, elogios ou críticas: podcast@universohq.com
Mensagem de voz via Whatsapp para (11) 94583-5989
Redes sociais: Twitter – Facebook – InstagramGoogle+Youtube

_____________________________________________________________

Assine o Confins do Universo

Feed RSS – http://podcast.universohq.com/feed/
iTunes Store

_____________________________________________________________

Edição e Sonorização

O Confins do Universo é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

_____________________________________________________________

Narração de abertura e encerramento

Guilherme Briggs – Twitter – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Logotipo do Confins do Universo

Damasio Neto – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Ilustração do Confins do Universo

Daniel Brandão – Twitter – Facebook – Site Oficial


Confins do Universo

• Outros artigos escritos por

.

  • Pedro Bouça

    Grande podcast! Os esclarecimentos de sempre:

    O Eisner criou Hawks of the Sea no estúdio Eisner-Iger, não Seahawks.

    Sobre os Blackhawks, vale dizer que na era de ouro era MUITO comum os artistas de um estúdio trabalharem juntos em uma história.

    Como curiosidade, “Busy” Arnold, dono da Quality, foi o cara que propos ao Eisner a criação do suplemento semanal do Spirit – e sócio dele na empreitada. Era um suplemento de quadrinhos feito para ser encartado em jornais que não tinham suplementos de quadrinhos e queriam ter um sem gastar muito. Ideia legal, hein?

    As republicações regulares do Spirit na verdade começaram na Warren (a editora de Creepy/Krypta) com a revista Spirit Magazine e continuadas pela Kitchen Sink. Houve republicações pontuais antes, mas essa foi a primeira série de republicações regular.

    Ah, eu tenho Astrologia Divertida! Só para dizer isso, mais nada.

    • VAM!

      Pedro, você tem conhecimento de alguma edição bacana portuguesa com seleção de material do Spirit? Penso que pode ser mais barato tentar comprar, do que correr atrás da antiga coleção da Abril, citada no UHQ.

      Abs,
      VAM!

  • VAM!

    Ótimo de Podcast, ´vai figurar fácil entre os melhores de 2017!

    O Edifício, da Abril, foi meu primeiro gibi do Eisner. A partir dele, comecei a adquirir as edições da Martins Fontes, Brasiliense e não parei mais.

    E me considero muito feliz e ter conseguido adquirir todas as GN publicadas no Brasil, com exceção da última lançada pela Criativo. Não dava pra comprar um calhamaço de 500 páginas por apenas uma inédita – Crepúsculo em Sunshine City, mesmo com os extras citados .

    A biografia dele pela Editora Globo está entre as melhores, da minha pequena “Biblioteca de Bastidores”.

    Só não tenho nada do Spirit original, possuo apenas a série do Cooke – Que vergonha! :((

    Uma ótima pedida seria o encadernado de 483 páginas, The Spirit: A Celebration of 75 Years da DC Comics.

    Mas fica então, a pergunta caros Confinautas: Será que somente a Panini poderia publicar?

    Grande abraço,
    VAM!

    • Enn

      Eu acho que o caso do material clássico do Spirit deve estar na mesma situação do primeiro material da Liga Extraordinária do Moore, os direitos eram da DC e foram para outras editoras, Liga indo para a Top Shelf e Spirit para a Dynamite, então não se poderia publicar as versões da DC e sim esperar que as licenciantes republiquem esse material para então só depois poder ser licenciado e publicado em outros paises, talvez seja isso, mas é apenas suposição minha

      Quanto a Panini publicar acho muito dificil, não vejo Spirit como perfil da empresa e a versão da DC que ela publicou não deve ter vendido bem, porque nem finalizada foi aqui, publicou 18 das 32 edições, talvez algum dia possa vir por outra editora como a Devir que ja tem material do personagem publicado, e particularmente prefiro que venha por qualquer outra e não a Panini

    • Também comecei a ler Will Eisner em O Edifício, da Abril! Tenho ela aqui até hoje…

  • Reginaldo Costa

    Fiquei um pouco decepcionado, pois esperava um podcast sobre Logan. Claro que o centenário do Will Eisner é mais importante. Mas vocês também poderiam fazer um episódio sobre o carcaju. O interessante é que filmes como Logan estão servindo pra mostrar que se pode fazer conteúdo mais adulto, sem a necessidade daqueles alívios cômicos constrangedores e descaracterização bizarra de personagens só pra agradar crianças, típicas de filmes da Marvel. Vamos torcer para que se torne o novo template de filmes de super-heróis e que bobagens como Guardiões da Galáxia se tornem coisas do passado.

    • Sidney Gusman

      Você mesmo respondeu: Eisner é mais importante. Vamos ver se rola Logan. Ainda não assisti ao filme, mas discordo de você. Não vejo a menor necessidade de um “template” para adaptações de super-heróis. Tem mais é que ter espaço para todos os modelos.

      • ALECD1970

        Queria muito ouvir um podcast sobre quadrinhos de terror nacionais da décadas de 50 a 80. Deve ser complicadíssimo pesquisar, mas seria muito interessante.

    • Marcelo Naranjo

      Reginaldo
      Eu ADOREI Guardiões da Galáxia. A-D-O-R-E-I
      E viva as diferenças!!! :-)))))

    • Saia Jeans

      Reginaldo, sendo bem chato e direto.

      Podcasts sobre cinema tem aos montes por aí, mas quantos falam sobre quadrinhos? Quadrinhos mesmo, não só Marvel e DC. Ex.: Quantos podcasts (de qualidade) já falaram sobre Will Eisner, ou Tiras, ou Bonelli?
      Eu prefiro que o CdU dê preferência aos quadrinhos do que ao cinema.

      Grande Abraço!

      • Pedro Bouça

        Assino embaixo! Tem um milhão de lugares que falam sobre esses filmes.

        • Reginaldo Costa

          Eu não disse pra não fazer o podcast sobre o Eisner… Falei que gostaria de ver um extra sobre o LOGAN. E realmente vc tem razão podcasts de filmes tem aos montes, já aqueles capazes de comentar adaptações de quadrinhos do jeito que se deve você pode contar nos dedos de uma mão só.

  • Valdir Pedrosa

    Apesar de ser leitor veterano de quadrinhos, sempre foquei nas revistas DC e Marvel. Por isso, agradeço ao Universo HQ por me apresentar Eisner e Bonelli. Neste episódio senti falta dos extras. Pode faltar a leitura de mensagens por e-mail e Whatsapp, mas os extras não.

  • Cap. Ninja

    Ei pessoal, não é por nada não… Vocês usaram a trilha sonora de Cowboy Bebop nesse episódio? Ali perto do final, eu estava ouvindo uma musiquinha conhecida que me jogou diretamente de encontro a esse anime tão querido. Parabéns pelo ótimo episódio e pelo Easter Egg ^^

  • Saia Jeans

    Baixando…

    Deveras bacana o novo logotipo! =D

  • Marcelo Naranjo

    Batman vs Superman só tem uma piadinha e vou te falar… difícil de assistir hein.

    • O Gato Socialista

      se é seu ponto de vista, ok.
      eu considero qualquer filme do ucm difícil de assistir. na verdade, o último que vi foi guardiões da galáxia, para nunca mais. sempre a mesma fórmula cômica de pastelão, não dá mesmo!

      interessante que tem gente que fala hoje que super-herói é infantil por natureza, mas na década de 80 se esbaldava em Moore, Miller, Gaiman… agora que o ucm varreu qualquer inteligência dos filmes de super-heróis, com sua disneyficação da marvel comics, as pessoas querem porque querem que super-heróis sejam, unicamente, um castelo de cidenrela alegre e colorido e querem isso nos filmes!

      • Dimas Mützenberg

        Mas gostar do Moore, Miller, Gaiman, etc não contradiz que o conceito dos comics é infantil. Aceitar que o conceito é infantil não me proíbe de gostar de novas leituras e abordagens. Na verdade, o que é interessante é que tem gente que fala que a “infatilização” do universo de super-heróis é descaracterizar os personagens mas que tem total convicção de que esse conceito adulto foi implementado a partir dos anos 80! Tem uma contradição cronológica aí.

        • O Gato Socialista

          erros cronológicos e que se devem ao fato de um não entendimento histórico.
          o laço de diana, o trauma de bruce, a socialização de clark em nada t~em de infantil, isso já nos anos 30.

  • João Pedro Morais

    Olá pessoal, comecei a colecionar quadrinhos há pouco tempo e sempre acompanho o podcast de vocês. Não conhecia muito o Will Eisner e sinto a falta das publicações no Brasil, principalmente do Spirit. Achei uma coisa interessante,estou lendo ultimamente a série Astro City de Kurt Busiek e Brent Anderson, publicada pela Panini,,e a série parece ter muita inspiração e quase uma homenagem a obra de Eisner, por sempre mostrar as histórias por uma ótica mais humana e o foco na cidade como um todo. Procede?? Abraço pessoal e parabéns pelo belo trabalho!!!

  • Dimas Mützenberg

    Mas o conceito de super-herói é infantil por natureza, Reginaldo. O que deve haver é, em primeiro lugar, qualidade no roteiro. Se formos fazer paralelo com o que aconteceu nos anos 80, lembremos o que veio depois: anos 90. Chegou um ponto em que botaram na cabeça que todos os quadrinhos agora eram pra adultos e na mente daquele pessoal adulto significava sexo e violência gratuita. Sinceramente, se infantilização significa filmes divertidos, prefiro que continuem assim.

    • O Gato Socialista

      é mesmo?
      um cara que se veste de morcego, escondendo/mostrando sua persona, devido a um trauma de infância, é infantil por natureza?

      ou uma mulher que é criada entre mulheres lésbicas, que usa um laço para acalmar pessoas e fazê-las dizer a verdade, docilmente, é infantil por natureza?

      ou um estrangeiro/alienígena que chega em uma cidade grande e tem que se disfarçar como os demais para viver, é infantil por natureza?

      é mesmo?

      você parece minha avó dizendo que contos de fadas são infantis.

      quem acredita que contos de fadas são infantis, apenas percebe a capa superficial da obviedade que esconde uma análise mais verdadeira, correta e jamais infantil da situação proposta em cada conto de fada. da mesma forma os super-heróis.

      mas se você prefere, como alguns aqui pelo que percebo, continuar com sua visão infantil dos super-heróis, é uma escolha sua. não é a minha a minha.

      • Pedro Bouça

        Dois podem jogar esse jogo.

        O menino que é raptado e criado em uma cultura completamente alienígena à sua, mantendo como única ligação com suas raízes as músicas de uma fita que a mãe o deixou antes de morrer é infantil por natureza?

        A mulher criada desde a infância por um pai niilista que transforma os filhos em assassinos sem coração em competição permanente uns com os outros e que decide se rebelar contra esse destino cruel é um conceito infantil?

        • O Gato Socialista

          a questão é o tratamento.
          guardiões poderia não disney.
          poderia ser marvel mesmo
          mas preferiram tratar como disney.
          não o estúdio ou a editora…
          é a pegada.
          batman lego é infantil. BvS, não.

      • Dimas Mützenberg

        “um cara que se veste de morcego, escondendo/mostrando sua persona, devido a um trauma de infância, é infantil por natureza?”

        A pergunta já se responde.

  • Dimas Mützenberg

    Faço minha a revolta do Sidão. Como que nesse momento do mercado editorial de HQs, que tem coleção de tudo sendo lançada, não aparece uma editora pra publicar uma coleção bacana do Spirit? Será que há algum entrave burocrático ou é falta de interesse? Façamos nossas preces.

    PS: Tive a honra de conhecer o Eisner pessoalmente aqui em Recife no festival de quadrinhos lá no início do século. Era mesmo uma pessoal muito gentil e solícito. Um mestre no verdadeiro sentido do termo.

    Abração pessoal.

    • Sidney Gusman

      Dimas, foi nesse festival no Recife a entrevista dele pro UHQ.

      Abraço

    • “Como que nesse momento do mercado editorial de HQs, que tem coleção de tudo sendo lançada, não aparece uma editora pra publicar uma coleção bacana do Spirit?”

      Essa é exatamente a minha angústia. Será que há algum entrave burocrático realmente? Porque não é possível não termos as HQs originais do Spirit sendo republicadas nos dias de hoje. Essa talvez seja a série que mais almejo ter na minha coleção algum dia…

  • Pedro Bouça

    Quando foi que humor virou coisa de criança?

    • O Gato Socialista

      quando é feito com intuito de ganhar risadas sem sentido e esquecíveis em uma sessão de cinema de super-herói onde árvores falam e guaxinins pegam em armas. esse humor é para crianças. há o humor para adultos. mas esse é para infantes.

      • Pedro Bouça

        Elogia o trabalho do Moore e reclama de que árvores que falam é uma coisa infantil na mensagem seguinte. Perfeitamente coerente.

        • O Gato Socialista

          sim.
          se vc não viu coerência, por favor, só não confunda Groot com o Monstro do Pântano.
          (é demais assim viu!)

  • Pedro Bouça

    O jeito é esperar. Eu mesmo aguardo uma edição melhor do Spirit nos EUA (a da DC está parcialmente esgotada e sempre foi cara demais).

    Spirit vai sempre ser reeditado. Cedo ou tarde aparece uma edição nova!

  • Gustavo Azevedo

    blz galera?

    minha edição preferida do eisner é justamente o edifício, foi minha primeira leitura dele, tinha só 14 anos em 89 e só lia super heróis da marvel e batman.
    sempre que releio minha edição fico emocionado.

    abraço

    • O Gato Socialista

      desse jeito comigo.
      viva a coleção graphic novel da abril!
      fizeram um excelente trabalho.
      eu tinha também 14 anos quando li o edifícil, em 1989! havia começado a ler hqs alguns anos antes e escolhido colecionar a DC Comics. enfim, só conhecia super-herói, mas o edifícil foi uma experiência incrível.

  • Adriano ferreira araujo

    Pedrada pura. E sempre me fazendo gastar uma grana na Amazon depois.

  • Enoch

    Esse podcast foi mais uma verdadeira audio-aula sobre quadrinhos !! Parabéns !! Eu fiquei imaginando como seria legal um filme que retratasse essas amizades do Will Eisner com o Bob Kane, e posteriormente com o Jack Kirby

    Ainda sobre filmes mas mudando o foco, estou torcendo pra vocês fazerem um podcast sobre Logan, pois eu queria muito saber a visão dos Confinautas a respeito.

    Em tempo, como o Codespoti faz para soar educado até quando fala palavrão ? É quase um poder mutante !! O.o

    • Sidney Gusman

      O Codespoti é um lorde da boca suja. :D

      Abraço

  • Moroni Machado

    Espero aumentar o debate.
    No podcast falou sobre pessoas que seriam os novos Will Eisner. Minha opinião Jeff Lemire, Jules Feifer e os Gêmeos. Artisticamente Frank Quitley e Cris Sammee

  • Iramir Alves Araujo

    Ah! Ah! Eu tenho a edição de astrologia que o Sidão mencionou!

    • Sidney Gusman

      Boa, Iramir!

      Abraço

  • Iramir Alves Araujo

    Eisner (qualquer de suas obras) é leitura obrigatória.

  • Sidney Gusman

    Reginaldo, pra mim, o que você quer são versões “adultas” dos supers. Sendo que, como o Dimas falou, eles são – como conceito, como bem escreveu Darwin Cooke, em DC: A Nova Fronteira – o que há de mais infantil, desde a sua origem.

    Isso, a meu ver, afugentaria o grande público dos cinemas. E nós, fás de quadrinhos, somos a minoria numérica quando o assunto é o público do cinema.

    Mas é a sua opinião. Respeito-a, apesar de divergir.

    Abraço

  • O Gato Socialista

    palmas!

  • Moroni Machado

    Fabio Moon e Gabriel Bá

    • O Gato Socialista

      bom… mas eisner, até onde sei, nunca pegou ideias de suas alunos e as publicou como suas…

      por isso que nunca participei desse negócio de aulas de quadrinhos, aprendi com meus professores (os artistas que leio). mas essa coisa de ir para uma escola e entregar uma ideia durante a aula e depois ver minha ideia publicada… porém com paternidade diferente, essa é dolorosa.

      pois foi isso o que aconteceu com daytripper.

      a ideia original é de um aluno deles. e eles pegaram e venderam para a DC Comics… sem creditar o coitado do aluno, isso é nojento.

      e por isso jamais lerei nada deles, nada mesmo!

      me senti no lugar do aluno e imagine isso:

      alguém ganhando fama e dinheiro e publicando na DC!! com uma ideia sua!!

      triste!!

      • Moroni Machado

        Se você lê o quadrinho do aluno e ler Daytripper. Vai notar que ambos não tem nada haver um com outro. Se você acha que é plágio são três opções:
        1º Ignorante.
        2º Acha que sabe escrever quadrinhos e histórias e na verdade não sabe.
        3º Gosta de uma confusão só para se promover.

        • O Gato Socialista

          e você? me conhece para me dar estas três opções?

          • Moroni Machado

            Quando perguntaram Neil Gaiman sobre a semelhança de Harry Potter e Livros da Magia (que tem muito mais semelhanças).

            “Não acredito que Rowling tenha copiado Os Livros da Magia, duvido que ela tenha lido os quadrinhos e não importa se leu: eu não fui o primeiro autor a criar um jovem mago com potencial, nem Rowling foi a primeira a mandá-lo para a escola. Não são as ideias que importam e sim o que você faz com elas.”

            Não são as idéias que importam, mas o que você faz com elas. Qualquer um que já escreveu ou já tentou escrever sabe disso.

            Uma ideia não é o suficiente para escrever um livro, uma técnica é uma ferramenta.

            1-Ignorante, Por que? Achar que é a primeira vez que o personagem morre e revive. Acha que utilizar a técnica de escrever como se fosse obituário? Coadjuvante negro?

            ou

            2-Acha que sabe escrever e não sabe, Por que? Confundir técnica com plágio? Arquétipos com plágio?

            ou

            3-Gosta de uma confusão. Achar que Mdm fonte de algo.

          • O Gato Socialista

            1, se for assim todas as histórias são as mesmas: herói contra vilão, mocinha em perigo, qualquer filme pode ser reduzido a isso. a questão é já li muitos artigos sobre isso, embora ainda não tenha lido daytripper, e só vou ler quando ler antes a dita obra do aluno.

            2, não confundi. essa questão de plágio é complexa e historicamente em certos momentos irrelevante: bach tem concertos idênticos aos de vivaldi, que ele declaradamente copiou mudando a orquestração e nem por isso deixam de ser bach. a questão é outra, o crédito posterior.

            3, não frequento MdM. creio ter visto essa questão desse aluno aqui mesmo no universo hq ou no terra zero.

  • Excelente podcast!

    • Sidney Gusman

      Valeu, Eduardo.

      Abraço

  • O Gato Socialista

    leio as notícias que saem.

  • Val Fonseca

    Eu tenho essa Destino com desenho do Eisner, Sidney. Adquiri de um colecionador há uns 4 ou 5 anos atrás. Mas lembro quando saiu em banca.

    • Sidney Gusman

      Boa, Val!

      Abraço

  • ALECD1970

    Acreditem se quiser, uma polemica vazia de gente mal informada e com muito tempo livre retratou Will Eisner como autor que divulgava pedofilia. Tudo por que uma diretora de escola criou caso ao descobrir que o conteúdo de Um Contrato Com Deus não era religioso e não era destinado a crianças. Um site evaangélico embargou na polemica vazia e na época , em torno de 2009, eu e alguns fãs fomos até os comentários do tal site para explicar quem de fato era Eisner. http://holofote.net/livro-um-contrato-com-deus-que-vai-ser-distribuido-pelo-governo-federal-as-bibliotecas-escolares-contem-cenas-de-estupros-violencia-domestica-pedofilia-e-outras-aberracoes/

    • Sidney Gusman

      Eu lembro dessa barbaridade. Melhor esquecer.

      Abraço

  • O Gato Socialista

    eu acho que boa parte dos amantes de quadrinhos conheceu eisner ou por spirit ou pelo edifício, que a abril publicou na série graphic novel.

    sidney gusman é da panini, não?
    por que a panini não republica em capa dura todo o material da série graphic novel da abril? seria bastante interessante.

    • Dimas Mützenberg

      A série Graphic Novel foi uma publicação que funcionou num determinado momento da história. Hoje em dia não há espaço para uma publicação de Marvel, DC e HQs autorais sob um mesmo título nas bancas.
      E veja que seria totalmente diferente de republicar uma coleção original gringa. Nesse caso seria republicar um projeto editorial de uma outra editora nacional, o que implica dizer que muito provavelmente a Panini não possui os direitos das mesmas obras que Abril possuía, além de que também não ficaria muito bonito pra cara de uma simplesmente copiar o projeto editorial da outra.

      E o Sidney Gusman não é da Panini.

      • O Gato Socialista

        mas tem alguma forte ligação com a panini via graphic msp.